RPT-Congresso dos EUA pode renovar fast-track se Doha destravar

quinta-feira, 29 de novembro de 2007 07:50 BRST
 

(Repete matéria publicada na noite de quarta-feira)

Por Doug Palmer

WASHINGTON, 29 de novembro (Reuters) - O Congresso dos EUA pode renovar rapidamente o chamado "fast-track" (autoridade presidencial para negociar tratados comerciais) caso haja avanços na negociação da Rodada de Doha, disse um analista na quarta-feira.

Autoridades do Brasil e da Índia recentemente se queixaram da falta de autonomia da Casa Branca para negociar o tratado comercial global, cujas discussões se arrastam há seis anos.

O "fast-track", que expirou em junho, obriga o Congresso a sancionar ou rejeitar na íntegra os tratados negociados pela Casa Branca. Como qualquer acordo costuma ter alguns artigos impopulares, o "fast-track" é considerado uma ferramenta essencial para impedir que os parlamentares desfigurem os acordos.

Desde que a oposição democrata assumiu a maioria parlamentar, o Congresso dos EUA demora na aprovação de acordos bilaterais de livre-comércio com o Peru, o Panamá, a Colômbia e a Coréia do Sul.

Mas provavelmente haveria uma rápida renovação do "fast-track" caso haja um acordo atrativo da Rodada Doha em vista, segundo Dan Griswold, diretor do Centro de Estudos da Política Comercial, do Instituto Cato.

"Se (os negociadores) conseguissem bater o martelo em um acordo abrangente, que tivesse ganhos reais no acesso a mercados para agricultores, empresas e prestações de serviço norte-americanos, acho que seria possível fazer esse Congresso prorrogar a autoridade de promoção comercial para este objetivo único", disse Griswold à Reuters.   Continuação...