Merrill Lynch irá vender US$8,5 bi em ações após baixa contábil

terça-feira, 29 de julho de 2008 09:59 BRT
 

Por Christian Plumb e Jonathan Stempel

NOVA YORK (Reuters) - O Merrill Lynch & Co afirmou que irá registrar 5,7 bilhões de dólares em baixas contábeis no terceiro trimestre à medida em que se desfaz de uma grande quantidade de dívidas de alto risco, e que irá levantar 8,5 bilhões de dólares com a venda de novas ações.

O banco de investimento e corretora de Wall Street anunciou seus planos menos de duas semanas depois de apresentar um prejuízo de 4,9 bilhões de dólares no segundo trimestre, afetado por baixas contábeis de 9 bilhões de dólares no período.

Num sinal do quão tóxicos se tornaram as dívidas detidas pelo Merrill, a instituição concordou em vender 30,6 bilhões de dólares de obrigações de débito colateralizados (CDOs), um tipo de dívida reempacotada, para a afiliada de fundo de private equity Lone Star Funds, por apenas 6,7 bilhões de dólares.

"O que está acontecendo com o Merril e outros é a morte em pequenas doses. É doloroso ver isso acontecer de novo e de novo", afirmou Daniel Alpert, diretor-gerente no banco de investimento Westwood Capital.

O Merrill afirmou que a venda de ações, que inclui uma aquisição de 3,4 bilhões de dólares pela estatal Temasek Holdings [TEM.UL] de Cingapura, pode crescer para 9,8 bilhões de dólares. A administração afirmou ainda que planeja comprar 750.000 ações.

As baixas contábeis e os planos de levantar capital podem levantar mais questões sobre as capacidade de John Thains, que se tornou presidente-executivo do Merril somente em dezembro, após a saída de Stanley O'Neal, de fazer a empresa dar a volta por cima.

O acordo com a Lone Star irá resultar numa baixa contábil de 4,4 bilhões de dólares para o Merrill e irá financiar cerca de 75 por cento do preço de compra, segundo informou o banco de investimentos.

O Merrill preferiu não comentar detalhes como o preço da oferta.