Equador diz que dará resposta "contundente" à Colômbia

sábado, 29 de março de 2008 16:05 BRT
 

QUITO (Reuters) - O Equador responderá na segunda-feira, de maneira "contundente" e de acordo com o direito internacional, aos "abusos" cometidos pela Colômbia em seu território, durante as operações militares realizadas na fronteira para combater as FARC, disse no sábado o presidente Rafael Correa.

A advertência do líder nacionalista vem no momento em que Quito e Bogotá intensificam a luta diplomática e política que mantêm desde o início de março, devido à morte de um cidadão equatoriano na operação militar colombiana que matou o líder guerrilheiro das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC), Rául Reyes.

"Na segunda-feira, terão uma resposta concreta, contundente. Não será uma resposta de guerra, nem de violência, será uma resposta estritamente ligada ao direito internacional. Na segunda, começam as respostas do Equador ao abuso da Colômbia", disse Correa em seu programa de rádio semanal.

Correa não deu detalhes das ações que adotará. Mas advertiu que buscará uma solução definitiva às múltiplas incursões colombianas no território equatoriano, ao longo da fronteira de 600 quilômetros de extensão.

"Chega de sermos agredidos (e de sermos) vítimas de um problema que não é nosso", acrescentou o presidente, que insistiu em negar as acusações do presidente da Colômbia, Alvaro Uribe, que diz que o governo equatoriano tem ligação direta com as FARC.

O Equador e a Colômbia dividem uma fronteira que se transformou em cenário de operações de grupos irregulares, como as guerrilhas e os cartéis de narcotraficantes.

Quito e Bogotá mantêm posturas divergentes em relação às medidas para controlar e pacificar a área.