ELEIÇÃO-PT disputa 19 capitais e prioriza aliança com PMDB

sexta-feira, 1 de agosto de 2008 16:27 BRT
 

Por Carmen Munari

SÃO PAULO, 1o de agosto (Reuters) - Nesta eleição, o PT vai evitar ao máximo o anúncio de uma meta de prefeituras que o partido pretende conquistar. Ficou escaldado com a campanha de 2004, quando um dirigente falou em mil cidades e o saldo foi de 411 em todo o país.

Mesmo ocupando na Presidência da República, o PT conquistou há quatro anos menos de 10 por cento das 5.565 prefeituras do país, mas cresceu 120 por cento em relação ao desempenho da eleição de 2000, quando ganhou apenas 187 delas. Enquanto o PT cresceu, os adversários (PSDB e DEM), e o agora aliado PMDB, sofreram redução.

"Não vamos fixar uma meta pública porque isso vira uma competição de avaliações. Mas claro que temos metas internas", disse à Reuters o deputado Ricardo Berzoini, presidente nacional do PT.

Em outra frente, o partido --conhecido pela concentração de poder-- realizou levantamento minucioso que aponta um ligeiro aumento das alianças com partidos aliados em capitais e cidades com mais de 200 mil habitantes.

Em 2004, a legenda teve candidaturas próprias em 65 capitais e municípios com mais de 200 mil habitantes e fez alianças em 14. Neste ano, concorre com candidaturas próprias em 58 cidades e se aliou em outras 21. As alianças atingiram 18 por cento do total em 2004 e 27 por cento neste ano, o que mostra crescimento nas adesões.

Na soma, os municípios em que o PT está concorrendo sozinho ou em coligação são os mesmos que em 2004 e neste ano: 79, sendo 19 capitais. Dados do partido indicam que essas cidades representam 36 por cento do eleitorado e reúnem 46 milhões de eleitores.

Berzoini acredita que o partido tem candidaturas "viáveis" neste ano. Nas capitais, pesquisa Datafolha divulgada na semana passada indica que o PT, como cabeça de chapa, lidera em São Paulo, com Marta Suplicy, empatada tecnicamente com Geraldo Alckmin (PSDB).

Em Porto Alegre, o empate é no segundo lugar, entre a petista Maria do Rosário e Manuela D'Ávila (PCdoB). Também em Recife o empate é na vice-liderança, entre João da Costa (PT) e Cadoca (PSC).   Continuação...