Condoleezza Rice diz que guerra do Iraque era "a coisa certa"

quinta-feira, 29 de maio de 2008 08:33 BRT
 

Por Susan Cornwell

ESTOCOLMO (Reuters) - A secretária de Estado norte-americana, Condoleezza Rice, defendeu na terça-feira a investida dos Estados Unidos no Iraque, depois das severas críticas à guerra feitas em um livro por um ex-porta-voz da Casa Branca.

"Fizemos algumas coisas bem, outras não tão bem", disse Rice, que era conselheira de segurança nacional quando a guerra do Iraque começou, em 2003. "A única coisa que tenho certeza de que não foi um erro foi a libertação do povo iraquiano de Saddam Hussein."

Em uma coletiva de imprensa antes de uma conferência internacional sobre o Iraque, Rice disse que não leu o livro de Scott McClellan, ex-secretário de imprensa da Casa Branca, mas acrescentou que a destituição de Saddam foi "a coisa certa a se fazer".

No livro, McClellan acusa o presidente George W. Bush de fazer propaganda para vender a guerra do Iraque --separando-se dramaticamente do restrito círculo da confiança de Bush.

Quando questionada sobre o assunto, Rice disse a um repórter que não podia falar sobre um livro que não leu, mas logo defendeu a guerra. Ela afirmou que as pessoas só entendem todas as implicações das coisas muito tempo depois que elas acontecem.

Ela disse que libertar os iraquianos "do monstro que era Saddam Hussein" não foi um erro nem foi unilateral.

"Não foram só os Estados Unidos que acreditaram que ele escondia armas de destruição em massa", disse Rice.

"A história está aí para todo mundo ver. Você não pode se transportar para o presente e dizer que deveríamos saber o que, de fato, não sabíamos em 2001, 2002, 2003. Os registros de armas de destruição em massa pareciam muito claros", disse Rice.   Continuação...

 
<p>A secret&aacute;ria de Estado norte-americana, Condoleezza Rice, ao chegar &agrave; primeira reuni&atilde;o anual internacional sobre o Iraque, em Estocolmo, 19 de maio de 2008. Photo by Bob Strong</p>