BOVESPA-Vale pesa e puxa leve queda do índice; Petrobras sobe

quinta-feira, 29 de maio de 2008 12:12 BRT
 

SÃO PAULO, 29 de maio (Reuters) - Com movimento desencontrado entre as ações da Petrobras e da Vale, a Bolsa de Valores de São Paulo operava sem tendência definida nesta quinta-feira.

O fiel da balança era um movimento predominante de realização de lucros, que fazia o Ibovespa .BVSP recuar 0,33 por cento, para 72.909 pontos, às 12h08. O giro financeiro era de 2,3 bilhões de reais.

As ações preferenciais da Vale (VALE5.SA: Cotações) caíam 1,88 por cento, a 54,75 reais, na esteira da queda nas cotações internacionais de commodities metálicas. O preço do cobre caía mais de 3 por cento, para o menor patamar em dois meses.

Na contramão, as preferenciais da Petrobras (PETR4.SA: Cotações) subiam 0,82 por cento, valendo 51,41 reais. Depois de apontar forte queda no início da manhã, as cotações do petróleo oscilavam em torno da estabilidade, após a divulgação da notícia de que os estoques da commodity nos Estados Unidos caíram inesperadamente na semana passada.

Na média do mercado, prevalecia um movimento de realização de lucros, um dia depois de o Ibovespa ter subido 3,04 por cento, na maior alta diária em maio, seguindo-se ao anúncio de elevação do rating soberano do Brasil por uma agência de classificação canadense.

"Isso fez crescer os boatos sobre o Brasil ser elevado para grau de investimento por uma grande agência internacional. Como essa expectativa não se confirmou, há esse espaço para realização de lucros", disse Newton Rosa, economista-chefe da Sul América Investimentos.

Nesse contexto, ações de empresas dos setores elétrico e financeiro, que lideraram os ganhos na véspera, eram os alvos preferenciais dos investidores para embolsar ganhos.

As ações preferenciais da Cemig CMIG4.SA caíam 2,7 por cento, para 37,46 reais, com o pior desempenho do índice. As preferenciais do Bradesco BBDC4.SA tinha baixa de 0,79 por cento, valendo 39,09 reais.

  Continuação...