CONSOLIDA-Incertezas persistem e BC vê inflação alta até 2010

segunda-feira, 29 de setembro de 2008 16:55 BRT
 

Por Renato Andrade

SÃO PAULO, 29 de setembro (Reuters) - O Banco Central estima que a inflação brasileira seguirá em patamar elevado até meados de 2010, mesmo com a expectativa de redução no ritmo de concessão de crédito no país e desaceleração das principais economias do globo.

O cenário traçado pelo BC reforça as apostas de que o ciclo de aperto da taxa básica de juro, iniciado em abril, será mantido, até que a autoridade monetária tenha certeza de que as medidas adotadas conseguirão trazer os índices de preço de volta ao patamar desejado.

De acordo com o Relatório de Inflação do terceiro trimestre, divulgado nesta segunda-feira, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) --que baliza a política de metas de inflação do governo-- deve encerrar o ano com alta de 6,1 por cento. No relatório de junho, a projeção era de um avanço de 6,0 por cento.

Para 2009, o BC estima uma inflação de 4,8 por cento, também acima da projeção anterior, que era de 4,7 por cento.

A inflação deve se aproximar do centro da meta somente em meados de 2010, alcançando 4,6 por cento, levemente acima do centro da meta, que é de 4,5 por cento.

ATIVIDADE EM FOCO

Apesar da esperada desaceleração da economia mundial, por conta da crise financeira que se arrasta por mais de um ano, e da queda recente dos preços das commodities, o BC ainda vê riscos para a inflação no país, o que justificaria a piora em suas estimativas.   Continuação...