Plano de resgate da Alitalia recebe apoio de sindicatos

segunda-feira, 29 de setembro de 2008 15:09 BRT
 

Por Deepa Babington e Alberto Sisto

ROMA, 29 de setembro (Reuters) - Um plano de resgate da companhia aérea Alitalia AZPIa.MI ganhou apoio de dois sindicatos de funcionários nesta segunda-feira, encerrando tortuosas negociações trabalhistas que chegaram a ameaçar a empresa de liquidação.

Os sindicatos SDL e Avia, que representam tripulantes de vôos e funcionários dos aeroportos seguiram o exemplo de outros sindicatos, que mudaram suas decisões e decidiram apoiar um acordo com o consórcio italiano CAI, qua havia retiradou brevemente sua oferta devido à oposição trabalhista.

Isso permitirá que o CAI, um grupo de 16 empresários e companhias, se concentre em achar um parceiro estrangeiro para que a Alitalia prossiga com um plano de relançamento como uma companhia menor e mais compacta até o início de novembro.

"Assinamos o acordo, mas não há nada a se comemorar", disse Antonio Divietri, diretor do sindicato Avia, acrescentando que os trabalhadores haviam sido "abandonados".

"Um em cada três de nós será demitido. Há pessoas que estão perdendo seus empregos e estão sofrendo".

A repentina mudança no destino da companhia -- que corria o risco de perder sua licença de operação quando as negociações fracassaram na semana passada --, é um triunfo para o primeiro-ministro italiano Silvio Berlusconi, que voltou ao poder em maio prometendo salvar a empresa.

A Alitalia, que pediu proteção contra falência em agosto depois de se curvar diante do peso dos preços do petróleo e dos altos custos trabalhistas, deve agora ter seus ativos valorizados e fundidos com os da rival doméstica Air One, antes que possa renascer.

A CAI ainda enfrenta outros obstáculos para relançar a companhia -- incluindo o escrutínio dos reguladores da União Européia -- mas convencer seus sindicatos a apoiarem um plano que corta salários e corta mais de 3 mil empregos foi seu maior desafio.