Para OCDE, América Latina deve cuidar da área fiscal com crise

quarta-feira, 29 de outubro de 2008 08:54 BRST
 

SAN SALVADOR, 28 de outubro (Reuters) - A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), que reúne 30 países, aconselhou na terça-feira a América Latina a manter uma boa administração fiscal para enfrentar a atual crise global.

O organismo, com sede em Paris, apresentou em El Salvador seu relatório "Perspectivas Econômicas da América Latina", no qual reconheceu que a região tem mostrado na última década uma melhora em suas políticas fiscais.

"Uma gestão fiscal correta, tanTo do lado das receitas como no dos gastos, pode constituir um elemento essencial para manter um crescimento sustentado em tempos de incerteza econômica global", disse a OCDE no relatório, divulgado dois dias antes da Cúpula Ibero-Americana.

A OCDE disse que os sistemas fiscais da região ainda não alcançaram todo o seu potencial, uma vez que a arrecadação não chegou a reduzir as profundas desigualdades na distribuição de renda e a qualidade dos bens e serviços públicos é baixa.

"Convida-se os países latino-americanos a racionalizar seus sistemas de arrecadação tributária, tornando-os mais simples e funcionais, sem esquecer da natureza e da estrutura da economia local, incluídos os trabalhadores e empresários do setor informal", acrescentou o relatório.

Durante a apresentação do estudo, um especialista da organização disse que a América Latina deve melhorar também seus gastos públicos.

"O gasto público na América Latina é um gasto de transferência, é o pagamento de pensões, muito importante, mas a porcentagem que vai para setores como educação e saúde não é necessariamente o que deve ser. Essa porcentagem deve ser maior, mas também deve ser de melhor qualidade", disse Angel Alonso Arroba, analista político da OCDE.

(Reportagem de Anahí Rama e Alberto Barrera)