Volume de crédito no país cresce 14% no 1o semestre

terça-feira, 29 de julho de 2008 13:11 BRT
 

Por Isabel Versiani

BRASÍLIA (Reuters) - O volume de crédito concedido pelas instituições financeiras no país cresceu 14 por cento na primeira metade do ano, o que reforça uma das principais preocupações do Banco Central em relação ao aquecimento da demanda e consequente pressão sobre os preços.

Em junho, as operações de crédito somaram 1,067 trilhão de reais, um aumento de 2,1 por cento em relação a maio, segundo dados divulgados nesta terça-feira pelo BC. Em 12 meses, a expansão do crédito foi de 33,4 por cento, em um quadro de estabilidade da inadimplência.

Se o crescimento do financiamento permanecer nesse ritmo, o estoque de crédito superará no final do ano os 40 por cento do Produto Interno Bruto estimados pelo BC, afirmou o chefe do Departamento Econômico, Altamir Lopes.

"O crescimento teria que ser de 24 por cento para se chegar a 40 por cento do PIB no final do ano", disse. Ele ponderou, no entanto, que esse estoque ainda é relativamente baixo quando comparado a outras economias similares à brasileira.

Lopes acrescentou que as medidas contracionistas adotadas pelo governo ainda terão impacto mais consistente sobre o mercado de crédito. "Vai bater em algum momento."

O estoque de crédito oferecido pelas instituições financeiras no país está atualmente em 36,5 por cento do PIB --pouco abaixo do maior patamar da série do BC, de 36,8 por cento, registrado em janeiro de 1995.

"As operações de crédito do sistema financeiro mantiveram, em junho, a trajetória de expansão observada ao longo do ano, evidenciando, entretanto, desaceleração no ritmo de crescimento dos financiamentos contratados com pessoas físicas, exceto das operações de arrendamento mercantil relacionadas a veículos", detalhou o BC em nota.

O setor automotivo foi um dos principais beneficiados pelo bom ritmo de crescimento da economia ao longo do primeiro semestre, período em que foram registrados novos recordes de vendas e produção de veículos no país.   Continuação...