Para ArcelorMittal, Brasil está no "topo dos Brics"

quinta-feira, 29 de novembro de 2007 19:31 BRST
 

Por Denise Luna

VITÓRIA (Reuters) - A siderúrgica global ArcelorMittal quer aumentar sua presença no Brasil e estima que nos próximos cinco anos investirá 5 bilhões de dólares para elevar sua produção atual de 12 milhões de toneladas de aço (um terço do volume produzido no país), em 4 a 5 milhões de toneladas.

Lakshmi Mittal, presidente mundial da companhia, disse estar confiante no crescimento da economia brasileira e de outros países em desenvolvimento, mas ressaltou que o Brasil é "muito importante para o grupo, está no topo dos Brics (sigla pela qual ficaram conhecidos Brasil, Rússia, Índia e China)".

"A expectativa é que a demanda por aço no Brasil cresça acima da média, baseada em indicadores econômicos de longo prazo. É importante que o Brasil tenha uma indústria siderúrgica capaz de suportar o crescimento da economia, e estamos comprometidos em assegurar isso", afirmou Mittal a jornalistas.

A declaração foi feita após a inauguração do terceiro alto-forno da ArcelorMittal Tubarão, no Espírito Santo, que eleva a produção da unidade de 5 milhões para 7,5 milhões de toneladas de aço por ano.

Segundo ele, "a proximidade da matéria-prima, o minério de ferro de boa qualidade, a força de trabalho qualificada e as boas perspectivas de crescimento fazem do Brasil um ótimo lugar para se fabricar aço".

Ele afastou, no entanto, planos de adquirir negócios em outras áreas no país, como petróleo e gás natural, mas disse que são setores que podem interessar a outras pessoas da família Mittal.

"A ArcelorMittal não gostaria de diversificar, mas minha família tem partes de petróleo e gás, talvez eles invistam no setor", disse ele, sem entrar em detalhes.

A expansão da ArcelorMittal no país, segundo o empresário indiano, será orgânica, e nos planos não estão previstas aquisições. Um dos principais empreendimentos será elevar a produção da usina de João Monlevade, unidade da antiga Belgo Mineira, hoje ArcelorMittal Aços Longos, em 1,2 milhão de toneladas, projeto que está diretamente ligado a negociações com a Vale para aumento de fornecimento de minério.   Continuação...