Bush elogia retirada de células-tronco de células da pele

terça-feira, 29 de janeiro de 2008 01:53 BRST
 

WASHINGTON (Reuters) - Cientistas que produzem células-tronco de células comuns da pele mostraram que experimentos com embriões humanos não são necessários, disse o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush em seu discurso sobre o Estado da União na madrugada de terça-feira (horário de Brasília).

Bush acrescentou que seu governo vai ampliar o financiamento "para este tipo de pesquisa médica ética".

No final do ano passado, três equipes de cientistas informaram que conseguiram fazer com que células comuns da pele funcionassem como células-tronco embrionárias, que são aquelas que têm capacidade de produzir outros tipos de tecidos e células.

"Esse avanço tem o potencial de nos levar além dos debates do passado que causam divisões, ao ampliar as fronteiras da medicina sem destruir a vida humana", disse Bush.

"Por isso estamos ampliando o financiamento para este tipo de pesquisa médica ética."

As primeiras fontes de células-tronco foram embriões humanos deixados em clínicas de fertilização. Cientistas também têm buscado extrair células-tronco usando a tecnologia da clonagem.

Bush se opõe a ambos os métodos e um de seus primeiros atos como presidente em 2001 foi permitir apenas um financiamento federal bastante limitado para esse tipo de experimento. Ele também vetou uma lei que ampliava o financiamento para pesquisas com células-tronco embrionárias.

Os cientistas esperam usar as células-tronco para transformar a medicina, dando tratamento de regeneração para portadores de diabetes e pessoas que sofreram ferimentos que deixaram sequelas, além de dar novas informações para o tratamento de doenças como câncer e Aids. Especialistas dizem que as restrições impediram progressos nessa área.