China aumentará gastos sociais se inflação piorar

terça-feira, 29 de janeiro de 2008 12:36 BRST
 

PEQUIM, 29 de janeiro (Reuters) - O governo chinês irá aumentar os subsídios para as famílias de baixa renda se a inflação continuar subindo, e os altos preços já forçaram algumas pessoas a eliminar uma refeição no dia, disse uma autoridade nesta terça-feira.

Nos últimos meses, a inflação chinesa tem estado perto da máxima em uma década, impulsionada pela alta dos preços dos alimentos e dos combustíveis. Com as tempestades de inverno afetando os transportes em todo o país, alguns analistas acreditam que as pressões sobre os preços em janeiro se tornaram ainda mais fortes.

No último ano, o governo central gastou 3 bilhões de iuans (416,8 milhões de dólares) ajudando 35 milhões de pessoas no enorme e pobre interior do país, dando aproxiamdamente 50 iuans por mês por pessoa para ajudar a comprar comida nos casos mais necessitados.

"Se os preços continuarem altos, ou se subirem ainda mais, o dinheiro gasto pelo governo central para ajudar os habitantes rurais e urbanos irá aumentar, e em larga escala", disse Wang Zhikun, vice-chefe do escritório de baixa renda do Ministério dos Assuntos Civis.

"Nós também iremos pedir para os governos locais gastarem mais", disse ele. "Mas nós achamos algumas famílias que ainda precisam ser incluídas no esquema."

A China tem respondido à inflação com algumas políticas e regras que procuram reprimir o aumento dos preços, que o governo teme que possa prejudicar a economia e levar a um descontentamento na população.

Autoridades disseram a empresários que peçam autorização antes de aumentar substancialmente os preços e alertaram que o governo pode reverter aumentos se eles forem inaceitáveis.

Wang disse que o impacto da inflação nos cidadãos mais pobre da China é evidente.

"Nós descobrimos que pessoas em certas áreas estão comendo apenas duas vezes por dia", acrescentou ele. "Isso mostra que o efeito do aumento dos preços nesses casos de dificuldade tem sido bastante óbvio."

"No passado, ele podiam comer um pedaço de carne, mas isso é muito raro agora. Ele poderão ser dar ao luxo de comer no máximo um pequeno pedaço no Ano Novo", disse Wang, se referindo ao tradicional festival de primavera, que começa na próxima semana.

(Reportagem de Ben Blanchard)