Premiê israelense fará pequena cirurgia de câncer de próstata

segunda-feira, 29 de outubro de 2007 09:40 BRST
 

Por Alastair Macdonald

JERUSALÉM (Reuters) - O primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert, anunciou nesta segunda-feira que vai se submeter a uma pequena cirurgia para remover um câncer de próstata, mas garantiu que isso não afetará sua capacidade de governar.

Em uma entrevista coletiva convocada às pressas, o premiê, de 62 anos, disse que a cirurgia será nos próximos meses e que o tumor é pequeno, em seu estágio inicial. Ele acrescentou que em princípio não haverá necessidade de radioterapia ou quimioterapia.

"Pelo que meus médicos me disseram, trata-se de um crescimento microscópico, que pode ser removido com uma rápida intervenção cirúrgica. Estaria em forma e totalmente dedicado a meus deveres antes do procedimento e a partir de poucas horas depois de sua conclusão", disse Olmert, que costuma correr e fazer ginástica.

"Não há nada no crescimento (celular) que ameace a vida ou que possa comprometer minha disposição para a tarefa atribuída", disse Olmert, que parecia tranquilo e em boa forma. Ele disse que convocou a coletiva porque "o público israelense tem o direito de saber".

Há cerca de dois anos, quando o então primeiro-ministro Ariel Sharon foi afastado do poder devido a um derrame, as autoridades foram muito criticadas por não terem revelado antes os problemas de saúde que ele tinha.

Olmert deve participar ainda neste ano de uma conferência de paz promovida pelos Estados Unidos para tentar retomar o processo que leve à criação do Estado palestino.

O primeiro-ministro enfrenta oposição de parte de sua própria coalizão a qualquer concessão aos palestinos, inclusive territorial, e muitos observadores questionam se ele tem capital político para implementar qualquer acordo que seja negociado.

Mas Washington parece querer fortalecê-lo, aparentemente por temer que uma eleição antecipada inviabilize o processo de paz com os palestinos ainda durante o mandato do presidente George W. Bush, que termina em janeiro de 2009.   Continuação...