Munich Re evita crise de hipotecas nos EUA e tem lucro recorde

quarta-feira, 30 de janeiro de 2008 14:49 BRST
 

Por Jonathan Gould

FRANKFURT (Reuters) - A Munich Re escapou dos problemas no setor de crédito imobiliário de alto risco nos Estados Unidos e registrou lucro recorde em 2007. Além disso, a empresa irá propor aumentar os dividendos em mais de um quinto, o que motivou alta de quase 6 por cento nas ações da companhia.

A segunda maior resseguradora do mundo anunciou lucro líquido preliminar de 3,9 bilhões de euros (5,8 bilhões de dólares) em 2007, após reduzir sua exposição aos riscos do mercado hipotecário norte-americano e informar que os riscos com emissores de títulos que atuam em apenas uma linha de negócio foram relativamente pequenos.

A volatilidade nos mercados financeiros fará de 2008 um ano difícil, mas a companhia mantém sua expectativa de obter um lucro líquido ao redor de 3,1 bilhões de euros, disse a jornalistas o vice-presidente financeiro da Munich Re, Joerg Schneider.

A companhia agiu rapidamente para minimizar seus riscos decorrentes das turbulências nos mercados, originadas da crise de crédito no setor hipotecário norte-americano subprime (de alto risco), que ainda impõe a contabilização de perdas por instituições financeiras como o UBS .

O banco suíço anunciou outros inesperados 4 bilhões de dólares em baixas contábeis nesta quarta-feira.

No quarto trimestre, a Munich Re registrou em seu balanço perdas inferiores a 10 milhões de euros em investimentos expostos ao mercado subprime, após registrar perdas contábeis de cerca de 150 mihões de euros nos primeiros nove meses do ano passado.

Isso reduziu os investimentos expostos ao subprime para 340 milhões de euros, menos de 0,2 por cento do portfólio total da resseguradora.

O lucro líquido de 2007 ficou acima da previsão mediana de 3,83 bilhões de euros de analistas, segundo a Reuters Estimates. Também superou a estimativa da própria Munich Re, de ganho no ano passado de 3,5 bilhões a 3,8 bilhões de euros.

A Munich Re planeja aumentar seu dividendo de 4,50 euros para 5,50 euros por ação para 2007, e pretende pagar ao menos 1 bilhão de euros em dividendos anualmente até 2010.