30 de Janeiro de 2008 / às 13:27 / 10 anos atrás

Brasil cumpre meta fiscal em 2007 e relação dívida/PIB recua

Por Isabel Versiani

BRASÍLIA (Reuters) - O Brasil cumpriu a meta fiscal de 2007 ao registrar superávit primário recorde de 101,606 bilhões de reais, pouco acima do alvo de 95,9 bilhões de reais fixado pelo governo para o ano.

Os dados divulgados pelo Banco Central nesta quarta-feira mostraram que a economia feita pelo governo, aliada ao crescimento econômico, fez a relação entre dívida e Produto Interno Bruto cair para 42,8 por cento --menor patamar desde 1998 e abaixo dos 44,7 por cento de dezembro do ano anterior.

Para 2008, a projeção do BC é de nova redução do endividamento.

“Os números mostram que a responsabilidade fiscal existe”, afirmou a jornalistas o chefe do Departamento Econômico do BC, Altamir Lopes.

Não fosse a apreciação do real observada no ano passado, de cerca de 17 por cento, a dívida poderia ter caído mais. É que, como o país é atualmente ativo em dólar, a queda no valor da moeda estrangeira deprecia seus ativos.

Apesar do desempenho favorável, analistas criticam a política fiscal do governo, baseada principalmente em aumento de receitas.

Para o estrategista-chefe do BNP Paribas no Brasil, Alexandre Lintz, os resultados podem piorar este ano.

“Para 2008, a moderação da atividade econômica, o fim da CPMF e a falta de capacidade do governo de cortar gastos nos levam a esperar uma redução do superávit primário para 3,3 por cento do PIB”, avaliou.

Ele ponderou, no entanto, que o resultado “será alto o suficiente para sustentar uma dinâmica benigna da relação dívida/PIB para 40 por cento até dezembro”.

O BC estima que o endividamento fechará o ano em 41,5 por cento do PIB.

Números divulgados pelo Tesouro Nacional nesta quarta-feira mostram que as receitas do governo central cresceram 13,9 por cento em 2007 frente ao ano anterior e as despesas subiram 13,3 por cento.

DEZEMBRO

No mês de dezembro, quando há uma concentração sazonal de gastos com pessoal, o setor público consolidado teve déficit primário de 11,78 bilhões de reais, acima do saldo negativo de 6,453 bilhões de reais em igual mês de 2006.

Foi o pior resultado mensal da série do BC, iniciada em 1991.

No ano, o superávit primário, que mede a diferença entre receitas e despesas do setor público excluindo os gastos com juros, correspondeu a 3,98 por cento do PIB.

O governo apropriou em juros o equivalente a 6,25 por cento do PIB. Como resultado, o déficit nominal caiu a 2,27 por cento do PIB, menor patamar da série.

O governo já anunciou ter como meta alcançar déficit nominal zero em 2010.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below