Após vitória, McCain tenta ampliar apoio entre republicanos

quarta-feira, 30 de janeiro de 2008 15:32 BRST
 

Por Tim Gaynor

MIAMI (Reuters) - Fortalecido pela vitória nas primárias da Flórida, o pré-candidato republicano à Presidência dos EUA John McCain, que lidera a corrida pela vaga do partido, tentará conquistar o apoio dos conservadores e independentes da legenda elogiando as diretrizes econômicas da era Reagan e prometendo derrotar o extremismo islâmico, afirmam estrategistas.

McCain, senador pelo Estado do Arizona, derrotou o ex-governador de Massachusetts Mitt Romney em uma apertada disputa nas prévias da Flórida, recebendo assim um importante empurrão antes da fundamental "superterça", marcada para o dia 5 de fevereiro.

Nessa data, 21 Estados norte-americanos votarão em primárias do Partido Republicano.

"Ele conseguiu muita força com essa eleição, e vamos falar sobre as duas questões com as quais os norte-americanos mais se importam, vencer a guerra contra o islamismo radical e a economia", afirmou Steve Schmidt, principal estrategista de McCain, em uma festa da legenda para comemorar a vitória do pré-candidato.

Schmidt ajudou a elaborar o teor das mensagens divulgadas por McCain na dura batalha da Flórida. Segundo o estrategista, o senador continuaria mencionando o legado de Ronald Reagan, o presidente republicano cujos dois mandatos na década de 1980 são vistos dentro do partido como uma era de ouro, para tentar unificar a legenda daqui para frente.

O discurso da vitória proferido por McCain em Miami, na noite de terça-feira, contou com várias referências a Reagan, que teria "ficado ao meu lado" quando o senador passou um período como prisioneiro de guerra no Vietnã, no final do decênio de 1960 e começo do de 1970, época em que Reagan governava a Califórnia.

Estrategistas disseram que o pré-candidato, na campanha que leva à Califórnia na quarta-feira, tentaria conquistar o apoio de eleitores independentes e mesmo de democratas dissidentes oferecendo provas de sua disposição para negociar com todos os setores da sociedade e trabalhar junto com a oposição.

McCain mostrou ser capaz de angariar apoio para além de seu partido na Flórida, onde o conhecido senador democrata Joe Lieberman apareceu em um comício realizado na semana passada a fim de oferecer-lhe seu aval.

"Não vou deixar que os rótulos partidários fiquem entre mim e o que eu acredito ser o melhor para os EUA", disse Lieberman à Reuters, ao deixar o comício em Lady Lake, no domingo.

"John McCain é a pessoa mais bem preparada dos dois partidos para ser o presidente e o comandante-em-chefe. Eu sei que não é comum ver um democrata apoiando um republicano, mas essa é a minha opinião."