Bolsas dos EUA fecham em queda atenta a seguradoras de bônus

quarta-feira, 30 de janeiro de 2008 20:15 BRST
 

 Por Ellis Mnyandu
 NOVA YORK (Reuters) - As bolsas de valores dos Estados
Unidos fecharam em baixa nesta quarta-feira, puxadas pelas
ações do setor financeiro após um comentarista dizer na
televisão que acredita que as duas maiores seguradoras de bônus
irão perder a nota máxima de avaliação de risco, em uma medida
que poderia trazer novas grandes perdas no setor.
 Os comentários de Charles Gasparino, da CNBC, ocorreram na
última hora do pregão, abatendo os ganhos de quase 1,5 por
cento dos principais índices, impulsionados por um agressivo
corte na taxa básica de juros dos EUA pelo Federal Reserve.
 O índice Dow Jones, referência da bolsa de Nova York,
recuou 0,30 por cento, para 12.442 pontos. O termômetro de
tecnologia Nasdaq caiu 0,38 por cento, para 2.349 pontos. O
índice Standard & Poor's 500 teve desvalorização de 0,48 por
cento, para 1.355 pontos.
 Ações das seguradoras Ambac Financial e MBIA fecharam em
queda de mais de 10 por cento. Essa desvalorização contribuiu
para que os papéis do setor financeiro estivessem entre os
piores desempenhos do dia.
 "Depois que ele (Gasparino) começou a falar, nós tivemos
uma venda generalizada. Assim que isso aconteceu, estas ações
caíram imediatamente", disse Joe Saluzzi, vice-gerente de
negociações da Themis Trading em Chatham, New Jersey.
 Um rebaixamento das seguradoras de bônus pode prejudicar
ainda mais o setor bancário e impedir a economia global, já que
as instituições financeiras sofrem com baixas contábeis em seus
ativos.
 Mais tarde, a CNBC colocou uma matéria em seu website
dizendo saber de possíveis rebaixamentos de seguradoras de
bônus por agências de risco de Wall Street, mas não citou
nenhuma fonte.
 (Reportagem adicional de Caroline Valetkevitch e Jennifer
Coogan)
 
<p>As bolsas de valores dos Estados Unidos fecharam em alta nesta ter&ccedil;a-feira, ap&oacute;s expectativas de outro corte do Federal Reserve na taxa b&aacute;sica de juro. Foto geral da Bolsa de Valores de Nova York em 28 de janeiro. Photo by Brendan Mcdermid</p>