Petrolíferas estrangeiras querem prorrogar acordos, diz Equador

terça-feira, 30 de outubro de 2007 23:40 BRST
 

Por Alexandra Valencia

MONTECRISTI, Equador (Reuters) - O ministro equatoriano do Petróleo, Galo Chiriboga, disse na terça-feira que as petrolíferas estrangeiras querem que o governo prorrogue a duração de contratos num momento em que o governo busca renegociar os acordos.

As propostas, vistas favoravelmente pelo ministro, são parte das conversas para renegociação, nas quais o governo quer que as empresas troquem seus contratos para permitir ao Estado manter o petróleo sob seu controle ao invés de compartilhar o produto.

"Essas propostas preenchem as expectativas do governo e, no geral, elas buscam ampliar o período de validade para cobrir os investimentos (das empresas)", disse Chiriboga à Reuters.

O presidente equatoriano, Rafael Correa, recentemente elevou o royalty cobrado sobre a receita das empresas estrangeiras na busca por maior controle sobre os recursos energéticos do país.

A mudança na cobrança dos royalties deve implicar em uma redução de 700 milhões de dólares na receita das petrolíferas estrangeiras que operam no país, como Petrobras, a espanhola Repsol e a chinesa Andes Petroleum.

Chiriboga não deu detalhes sobre as outras condições propostas pelas empresas.

A maioria dos contratos vence entre 2010 e 2012. Correa tem agora de analisar as propostas, mas o ministro não estabeleceu uma data para a decisão sobre a questão.

(Colaborou Carlos Andrade in Quito)