Ação da BM&F congestiona bolsa e sobe 22% no 1o pregão

sexta-feira, 30 de novembro de 2007 19:44 BRST
 

Por Cesar Bianconi e Vanessa Stelzer

SÃO PAULO (Reuters) - As ações da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) dispararam na estréia na Bolsa de Valores de São Paulo nesta sexta-feira, com forte volume de negócios. O grande número de ordens de compra e venda dos papéis chegou a travar o sistema da Bovespa, segundo operadores.

Os papéis da BM&F --que saíram com preço inicial de 20 reais, no teto da faixa estimativa-- avançaram 22 por cento no fechamento, para 24,40 reais. Na máxima do dia, as ações dispararam 30 por cento.

"Começou subindo bem, o mercado já estava posicionado para isso", resumiu o economista-chefe da SulAmérica Investimentos, Newton Rosa.

A oferta pública inicial da BM&F teve expressiva procura de investidores, após a operação bem-sucedida da Bovespa Holding, controladora da bolsa paulista e da Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia (CBLC), no mercado de capitais.

Os investidores pessoa física com prioridade de alocação que fizeram pedidos de reserva de ações da BM&F entre 5 mil e 300 mil reais foram atendidos apenas com o valor de 1.820 reais, ou o equivalente a 91 ações.

"Esse IPO (sigla em inglês para oferta pública inicial) um mês após o IPO da Bovespa completa um círculo virtuoso... Comemoramos a tendência cada vez mais forte das sociedades anônimas aumentando a liquidez e aproximando o Brasil dos maiores mercados do mundo", afirmou o presidente da BM&F, Manoel Felix Cintra Neto.

CONGESTIONAMENTO

A oferta pública de ações da BM&F, quarta maior bolsa de mercadorias e futuros do mundo, é de cerca de 6 bilhões de reais. Esse valor a torna a operação a segunda maior da história no Brasil, atrás apenas da abertura de capital da Bovespa Holding, em outubro, que movimentou 6,6 bilhões de reais.   Continuação...