CONSOLIDA-Europa resgata mais bancos com rejeição ao pacote

terça-feira, 30 de setembro de 2008 10:11 BRT
 

Por Eddie Evans e Jason Neely

NOVA YORK/LONDRES, 30 de setembro (Reuters) - O resgate de bancos aumentou na Europa nesta terça-feira, e alguns investidores expressaram confiança de que o Congresso norte-americano vai aprovar, em algum momento, o plano de resgate de 700 bilhões de dólares do setor financeiro.

Os índices futuros dos Estados Unidos subiam, sugerindo que os mercados abrirão em alta em Wall Street, depois da Câmara dos Deputados dos Estados Unidos ter rejeitado o plano de resgate, o que derrubou os mercados na segunda-feira.

Na Europa, a Irlanda revelou uma garantia para poupanças em seus bancos, cobrindo até 400 bilhões de euros (575 bilhões de dólares) em passivos, fazendo com que as ações do setor financeiro no país subissem, em caminho inverso à tendência de enfraquecimento do setor.

A Rússia, pela segunda vez no mês, fechou temporariamente sua bolsa de valores logo depois de ter iniciado as negociações.

A França se juntou a Bélgica e Luxemburgo em uma ajuda de 6,4 bilhões de euros ao banco Dexia (DEXI.BR: Cotações), e informou que irá ajudar aqueles que poupam com novas medidas bancárias até o fim da semana.

"O derretimento do mercado deve continuar, a não ser que um projeto alternativo (dos Estados Unidos) seja aprovado, o que pode ou não acontecer esta semana", escreveu em uma nota Dariusz Kowalczyk, estrategista-chefe do CFC Seymour em Hong Kong.

Ao enfrentar a pior crise financeira desde a Grande Depressão, os bancos centrais globais se esforçaram novamente para tentar aliviar uma forte contração de mercados interbancários, elevando para 620 bilhões de dólares o volume de recursos para financiamento.

A proibição de vendas de ações à descoberto se espalhou pela Rússia, Coréia do Sul e Taiwan. Investidores nervosos partiam para o ouro e para os Treasuries do governo norte-americano. O petróleo caía com temores de desaceleração econômica mais forte, e o iene japonês atingiu maior alta em quatro meses.