CONSOLIDA-PETROBRAS, BRASKEM e UNIPAR redefinem petroquímica

sexta-feira, 30 de novembro de 2007 16:11 BRST
 

Por Denise Luna e Cesar Bianconi

SÃO PAULO/RIO DE JANEIRO, 30 de novembro (Reuters) - Petrobras, Braskem e Unipar definiram nesta sexta-feira, com um complexo processo de movimentação de ativos, a consolidação de todo o setor petroquímico brasileiro, que passará a contar em alguns meses com duas grandes empresas onde a estatal terá participações.

Em um segundo momento, o BNDES também poderá entrar na estrutura acionária de uma das companhias.

O objetivo, segundo os agentes envolvidos, é aumentar a escala de produção em um segmento que por anos se viu impedido de crescer devido a um emaranhado societário que dificultava as decisões.

A Braskem (BRKM5.SA: Cotações), maior petroquímica da América Latina, ganhou a Petrobras (PETR4.SA: Cotações) como sócia minoritária relevante, com 25 por cento do capital total, e os ativos petroquímicos da região Sudeste, capitaneados pela Unipar, foram reunidos em uma empresa ainda sem nome onde a Petrobras terá 40 por cento, e que deverá ter o seu capital aberto.

A consolidação não incluiu, no primeiro momento, o Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), ainda em fase de construção, e que será objeto de futura negociação, segundo o presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli.

"Já tínhamos revisto a nossa estratégia há alguns anos. O setor exige empresas de grande porte e maior integração de toda a cadeia fornecedora", afirmou Gabrielli a jornalistas.

"Teremos 25 por cento da maior companhia petroquímica do país (Braskem) e 40 por cento da segunda maior", complementou, acrescentando que não teme problemas com órgãos de defesa da concorrência. "Não tem conflilto. Não somos controladores de nenhuma delas", afirmou.

A participação da Unipar, de 60 por cento da nova empresa, assim como a fatia da Petrobras, poderão ser alteradas, explicou Gabrielli, se o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) exercer o direito de preferência sobre sua participação na Riopol, empresa que ficou dentro da nova companhia do Sudeste e que vai desaparecer com a integração.   Continuação...