Ações sobem na Ásia após mês volátil, petróleo cai

sexta-feira, 30 de maio de 2008 07:55 BRT
 

Por Kevin Plumberg

HONG KONG (Reuters) - As principais bolsas asiáticas tiveram uma sexta-feira de alta, impulsionadas por exportadoras no Japão à medida em que os medos de uma profunda recessão nos Estados Unidos recuaram, mas os ganhos foram limitados por receios de que a inflação possa reduzir o crescimento e aumentar os custos de empréstimos.

Às 7h52 (horário de Brasília) o índice MSCI da Ásia tinha alta de 1,39 por cento, aos 133 pontos, puxado pelo Japão. Contudo, o índice registra queda de 1 por cento em maio após ter apresentado uma recuperação em abril, e acumula queda de 5 por cento este ano.

O índice Nikkei da bolsa de Tóquio avançou 1,52 por cento, aos 14.338 pontos, impulsionado por um iene fraco que deu força para empresas exportadoras como a Canon, Sony e Toyota Motor .

Apesar de uma queda de 4 dólares no preço do barril do petróleo no overnight, a commodity acumula uma alta de 30 por cento desde o início de 2008, fomentando receios de que os custos da energia irão reduzir os gastos do consumidor, investimentos empresariais e causarão inflação.

"Uma vez que a inflação ultrapasse um certo nível, ela se torna um grande fator negativo para as ações", afirmou Garry Evans, estrategista de ações asiáticas no HSBC em Hong Kong.

"Nos próximos trimestres acreditamos que a inflação se tornará um tema cada vez mais importante. Investidores devem evitar países onde as autoridades terão que tomar medidas drásticas e procurar papéis que se beneficiem dos preços crescentes", explicou em nota.

A Dell, segunda maior fabricante mundial de computadores, anunciou seu balanço, que veio acima das expectativas, dando força para outras empresas do setor, como a Lenovo .

O índice Hang Seng da bolsa de Hong Kong fechou com alta de 0,61 por cento, em 24.533 pontos.

Na Coréia do Sul a bolsa encerrou com valorização de 0,59 por cento, em 1.852 pontos.

 
<p>As principais bolsas asi&aacute;ticas fecharam a quinta-feira em alta, com o mercado japon&ecirc;s registrando a maior valoriza&ccedil;&atilde;o di&aacute;ria em um m&ecirc;s depois de n&uacute;meros que mostraram aumento do investimento empresarial nos Estados Unidos para seu patamar mais alto no ano. Photo by Kim Kyung-Hoon</p>