BOVESPA-Blue chips perdem força e índice fica sem tendência

sexta-feira, 30 de maio de 2008 11:44 BRT
 

SÃO PAULO, 30 de maio (Reuters) - Após uma abertura francamente positiva, a Bolsa de Valores de São Paulo passava a operar sem tendência nesta sexta-feira, em meio ao fraco desempenho das ações de empresas ligadas a commodities.

As 11h43, o Ibovespa .BVSP, principal índice da bolsa paulista, apresentava valorização de 0,18 por cento, ao 71.929 pontos. O volume financeiro era de 2 bilhões de reais.

"Essa força inicial da sessão veio da Petrobras, que já tinha caído ontem e incorpora o anúncio da nova descoberta de petróleo leve e o grau de investimento dado pela Fitch", afirmou Miguel Daoud, diretor da Global Financial Advisor.

Na tarde de quinta-feira, a agência de classificação de risco Fitch elevou a nota soberana do Brasil para "BBB-", nível mais baixo da faixa considerada de investimento seguro, sendo a segunda grande agência a fazê-lo. Contudo, o mercado já havia precificado a notícia no decorrer do mês após o primeiro investment grade concedido pela S&P no fim de abril.

Como de costume, o maior giro do dia era das ações preferenciais da Petrobras (PETR4.SA: Cotações), que subiam 0,95 por cento, a 49,85 reais. Na noite de quinta-feira a Petrobras anunciou a descoberta de óleo leve e águas rasas no sul da Bacia de Santos, no bloco BM-S-40.

As ações preferenciais da Vale (VALE5.SA: Cotações) avançavam 0,28 por cento, para 53,55 reais.

Empresas do setor elétrico eram os destaques nas duas pontas do índice. As ordinárias da Eletrobras ELET3.SA disparavam 8,7 por cento, para 27,94 reais, depois de jornais afirmarem que o governo federal, controlador da empresa, está negociando um acordo para liqudar uma dívida de 8,5 bilhões de reais da empresa.

Do lado negativo, as preferenciais da geradora de energia Cesp CESP6.SA afundavam 7,7 por cento, a 30,07 reais, com a notícia de que o governo de São Paulo, controlador da empresa, teria desistido de vender o controle da estatal, preferindo somente ofertar uma parte das ações que possui.

(Reportagem de Rodolfo Barbosa; Edição de Aluísio Alves)