Meirelles defende reservas fortes e contesta crítica sobre custo

terça-feira, 30 de outubro de 2007 11:20 BRST
 

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, defendeu nesta terça-feira a política de acumulação de reservas internacionais e afirmou que o custo de carregamento destes recursos não deve ser avaliado tendo como base apenas a tendência atual do dólar.

Durante reunião conjunta de uma série de comissões da Câmara dos Deputados, Meirelles destacou que a moeda norte-americana vive um ciclo de desvalorização em todo mundo, mas frisou que o câmbio é flutuante, o que indica que a moeda não seguirá um caminho único.

Segundo o presidente do BC, as agências de classificação de risco dificilmente teriam mantido uma avaliação positiva do Brasil, em meio às turbulências internacionais, se as reservas não estivessem no patamar atual, acima de 160 bilhões de dólares.

Durante sua apresentação, Meirelles também citou como medias de fortalecimento da economia a eliminação do endividamento interno atrelado à taxa de câmbio e a redução da exposição cambial dos bancos, determinada pelo BC.

"O aumento da turbulência internacional ocorreu em momento em que o Brasil está muito mais preparado para (enfrentar) isso", disse.

(Por Isabel Versiani)