Israel amplia bloqueios rodoviários na Cisjordânia, diz ONU

terça-feira, 30 de setembro de 2008 08:58 BRT
 

Por Wafa Amr

RAMALLAH, Cisjordânia, 30 de setembro (Reuters) - O fechamento da Cisjordânia por ocasião do Ano-Novo judaico restringe ainda mais o deslocamento de palestinos na terça-feira, último dia do mês islâmico do Ramadã.

Apesar das promessas de facilitar as viagens, Israel ampliou o número de bloqueios rodoviários e postos de controle nos últimos seis meses na Cisjordânia ocupada, segundo um relatório da Organização das Nações Unidas (ONU) divulgado nesta semana.

O Escritório para a Coordenação de Assuntos Humanitários diz que o Exército israelense montou 19 novos "obstáculos" desde abril, elevando o total a 630, sendo 93 postos de controle operados por soldados.

Israel está sob pressão internacional para aliviar as restrições que podem transformar trajetos de 20 minutos em horas de viagem dentro de um carro --isso quando não fica impossível chegar ao destino pretendido.

O Estado judeu alega que tais controles são necessários para evitar que homens-bomba palestinos cheguem às cidades israelenses. Os palestinos afirmam que tais restrições prejudicam sua economia e violam a liberdade de ir e vir.

Na segunda-feira, Israel fechou por três dias os acessos à Cisjordânia e à Faixa de Gaza por causa do Ano-Novo judaico, que neste ano coincide com o feriado islâmico do Eid Al Fitr, no final do mês do jejum do Ramadã.

Os palestinos dizem que, por causa da interdição desta semana, estão sendo impedidos de visitar parentes em várias partes da Cisjordânia e em Jerusalém Oriental, territórios conquistados por Israel na guerra de 1967.