ATUALIZA-Casa Branca espera que leves mudanças garantam pacote

terça-feira, 30 de setembro de 2008 11:04 BRT
 

(Texto reescrito e atualizado com comentários de assessor da Casa Branca)

WASHINGTON, 30 de setembro (Reuters) - A Casa Branca começou a considerar "pequenas mudanças" no pacote na expectativa de angariar os votos necessários para aprovação do plano de ajuda de 700 bilhões de dólares que foi rejeitado pela Câmara norte-americana na véspera. A informação foi dada nesta nesta terça-feira por um assessor do governo.

"Vai levar um pouco de tempo para mapear onde os possíveis votos estão, mapear que pequenas mudanças são necessárias para atrair esses votos", disse Keith Hennessey, diretor do Conselho Nacional de Economia, à Fox News. "Estamos começando a fazer isso."

Mais cedo, o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, afirmou que a economia norte-americana depende de uma ação decisiva do governo sobre o plano de ajuda ao sistema financeiro ou os prejuízos econômicos serão "dolorosos e duradouros".

"Eu garanto aos nossos cidadãos e aos cidadãos ao redor do mundo que isso não é o fim do processo legislativo", disse Bush, um dia após a Câmara ter rejeitado o pacote.

Bush acrescentou que seus conselheiros econômicos vão insistir esta semana nas conversas com importantes parlamentares. "O Congresso precisa agir."

"Estamos num momento crítico para nossa economia e nós precisamos de uma legislação que trate dos ativos com problemas... que permita à economia norte-americana retomar seu ritmo de novo".

"Se nossa nação continuar neste curso, os prejuízos econômicos serão dolorosos e duradouros", disse Bush a jornalistas.

Bush lembrou que a queda do mercado acionário na segunda-feira, quando o Dow Jones .DJI teve a maior baixa em pontos da história, está tendo impacto direto sobre os fundos de pensão e a poupança das pessoas. Ele disse compreender as objeções de alguns membros do Congresso --ncluindo muitos republicanos-- ao pacote de ajuda, mas insistiu que uma ação é urgente.

(Reportagem de Deborah Charles)