Bernardo: superávit primário pode superar 4,3% do PIB

sexta-feira, 30 de maio de 2008 15:59 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, disse nesta sexta-feira que o superávit primário pode até superar 4,3 por cento do Produto Interno Bruto (PIB) este ano.

"Nos cinco anos anteriores, nós fizemos em todos os casos mais que a meta, portanto a meta que for fixada pelo governo vai ser cumprida e se possível ainda passaremos", afirmou a jornalistas após palestra no Rio de Janeiro.

Bernardo acrescentou que o governo vai continuar perseguindo o objetivo de zerar em 2010 o déficit nominal do setor público.

"No (primeiro) quadrimestre deste ano tivemos superávit nominal, o que não acontecia há 20 anos. Não queremos dizer que isso vai acontecer este ano inteiro, mas a nossa expectativa é zerar o déficit nominal até 2010", afirmou.

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou mais cedo que o governo fará um superávit primário adicional de 0,5 por cento do PIB para formar o Fundo Soberano do Brasil e ajudar o Banco Central no combate à inflação.

A meta inicial de superávit primário era de 3,8 por cento do PIB. Nos 12 meses encerrados em abril, a poupança era equivalente a 4,23 por cento.

Bernardo reiterou que o governo não pretende alterar a política cambial para brecar a queda do dólar frente ao real, mas não descartou a possibilidade de adoção de medidas pontuais.

"Se tiver alguma medida pontual, que o governo coloque de forma consistente, sabendo quanto custa e qual tamanho, podemos fazer. Agora, mudar simplesmente a política cambial não vamos fazer... não temos nenhuma previsão ou proposta nesse sentido", disse o ministro.

"Tem muita gente achando que já estamos perto do teto da apreciação do real, espero que isso seja verdade." Perto do fechamento, o dólar era cotado a 1,629 real --menor valor desde janeiro de 1999.   Continuação...

 
<p>Bernardo: super&aacute;vit prim&aacute;rio pode superar 4,3% do PIB. O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, disse nesta sexta-feira que o super&aacute;vit prim&aacute;rio pode at&eacute; superar 4,3 por cento do Produto Interno Bruto (PIB) este ano. Foto do Arquivo. Photo by Jamil Bittar</p>