ZTE vai disputar mercado de celular barato no Brasil

terça-feira, 30 de setembro de 2008 18:41 BRT
 

Por Taís Fuoco

SÃO PAULO, 30 de setembro (Reuters) - A chinesa ZTE, que já vende celulares no Brasil com a marca Aiko, em exclusividade para a Vivo VIVO4.SA, decidiu usar a própria marca ZTE para disputar o mercado de modelos de mais baixo custo.

Para isso, a companhia passou a contratar produção terceirizada de duas fabricantes locais e fechou uma parceria com a TIM TCSL4.SA para a venda dos dois primeiros modelos, cujos preços sugeridos são de 179 e 399 reais.

Segundo Eliandro Avila, presidente-executivo da ZTE no Brasil, "como a competição é acirrada, vamos atuar em segmentos específicos de mercado".

A empresa mantém, há dois anos, parceria com a Evadin, de Manaus (AM), que fabrica celulares com a marca Aiko, a partir de modelos desenvolvidos pela empresa chinesa, que são vendidos exclusivamente para a Vivo VIVO4.SA.

"A parceria com a Evadin continua, é algo muito forte", disse ele, em entrevista à Reuters.

A empresa, entretanto, pretende oferecer os aparelhos de marca ZTE às demais operadoras. Para isso, ela decidiu contratar produção terceirizada também da Celéstica, que tem fábrica em Campinas (SP). "De acordo com a região que iremos atender, escolheremos uma ou outra fabricante", explicou ele.

No ano passado, segundo Avila, a ZTE vendeu 1 milhão de celulares no Brasil, volume que ela espera dobrar este ano com a oferta das duas marcas.

Os dois modelos que ela começa a vender na rede da TIM esta semana são ainda da segunda geração de celular. Até o final deste ano, de acordo com o executivo, a ZTE terá celulares também na terceira geração, mas ele disse ainda não poder revelar por quais operadoras eles serão vendidos.

No caso dos modems para acesso à Internet através da rede de celular, a ZTE já vende para a Vivo, com a marca Aiko, e para operadoras como a Brasil Telecom, Claro, Oi, TIM e CTBC com a marca ZTE.

(Edição de Alexandre Caverni)