30 de Outubro de 2007 / às 09:52 / 10 anos atrás

PANORAMA1-IGP-M e confiança nos EUA não desviam foco sobre Fed

Por Juliana Siqueira

SÃO PAULO, 30 de outubro (Reuters) - O mercado financeiro vai monitorar o IGP-M no Brasil, para ver se a inflação está mesmo desacelerando, e como anda a disposição para gastar dos consumidores norte-americanos, mas nada disso deve mudar o foco atual do mercado, totalmente voltado para a decisão que o Federal Reserve vai tomar na quarta sobre o juro dos Estados Unidos.

A maioria do mercado aposta em uma redução de 0,25 ponto na taxa, atualmente em 4,75 por cento. Mas há quem especule sobre um corte de 0,5 ponto.

"A redução dos juros é vista como provável devido às sinalizações da autoridade monetária americana do potencial impacto negativo da crise de crédito no mercado imobiliário sobre o consumo e, portanto, sobre a atividade econômica", observa a InvestPort em relatório.

"A inflação em ligeira baixa também garante ao Fed algum espaço para o corte dos juros", complementa.

O juro futuro precificava 98 por cento de chance de um corte de 0,25 ponto.

Já a expectativa de economistas para a confiança do consumidor norte-americano é que ela fique praticamente estável, oscilando de 99,8 em setembro --menor nível desde o período pós-Katrina-- para 99 em outubro.

"O sentimento geral vai permanecer negativo", escreveu o BNP Paribas em relatório.

"Dado que o mercado imobiliário não deve se recuperar tão cedo e que as condições de crédito continuam apertadas, as perspectivas de consumo parecem desanimadoras."

Analistas também vão acompanhar o resultado do UBS, depois que o banco alertou na véspera que pode registrar mais baixas contábeis em seu portfólio de renda fixa.

Embora tenha informado na véspera que o prejuízo do terceiro trimestre não seria pior do que o já previsto, a instituição amargou um prejuízo líquido de 830 milhões de francos suíços, depois de ter registrado lucro de 2,199 bilhões de francos suíços um ano antes. [ID:nN30593058]

Investidores já tem se preparado para mais notícias ruins do setor, depois que o Merrill Lynch MER.N anunciou na semana passada baixa contábil de cerca de 8 bilhões de dólares.

No Brasil, o mercado espera que os custos dos alimentos agrícolas tenham desacelerado, fazendo o Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) ficar em 0,85 por cento neste mês, ante 1,29 por cento em setembro.

Se vier em linha, o dado vai corroborar com o resultado da pesquisa feita pelo Banco Central com economistas, que reduziram suas estimativas para a inflação em 2007 segundo levatamento divulgado na véspera.

De acordo com a pesquisa, os analistas acreditam que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) encerrará o ano com alta de 3,86 por cento, levemente abaixo dos 3,91 por cento estimados na pesquisa passada. Para 2008, entretanto, a projeção continua de avanço de 4,10 por cento.

Para ler a agenda do dia, clique [nN30602075]

Veja como encerraram os principais mercados na segunda-feira:

CÂMBIO BRBY

O dólar terminou a 1,756 real, em baixa de 0,73 por cento. O volume do segmento interbancário foi de 4,763 bilhões de dólares.

BOLSA .BVSP

O Ibovespa subiu 1,2 por cento, a 65.044 pontos. O volume financeiro na bolsa foi de 7,4 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS .BR20

O índice de principais ADRs brasileiros fechou em alta de 2,01 por cento, aos 37.455 pontos.

JUROS <0#2DIJ:>

A maioria dos contratos de depósito interfinanceiro (DI) caiu na BM&F. O DI janeiro de 2009 fechou a 11,34 por cento, enquanto o DI janeiro de 2010 fechou a 11,51 por cento.

GLOBAL 40 BRAGLB40=RR

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, subia para 134,6 por cento do valor de face no final da tarde, oferecendo rendimento de 5,5 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS 11EMJ

No final da tarde, o risco Brasil caía 2 pontos, a 174 pontos-básicos. O EMBI+ estava em 197 pontos-básicos.

BOLSAS DOS EUA

O índice Dow Jones .DJI teve alta de 0,46 por cento, a 13.870 pontos. O Standard & Poor's 500 .SPX subiu 0,37 por cento, a 1.540 pontos. O Nasdaq .IXIC avançou 0,47 por cento, a 2.817 pontos.

TREASURIES DE 10 ANOS US10YT=RR

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, subia e o rendimento declinava para 4,4 por cento no final da tarde.

Reportagem adicional de Angela Bittencourt e Silvio Cascione

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below