China e Brasil lideram aberturas de capital no mundo no 3o tri

terça-feira, 30 de outubro de 2007 14:18 BRST
 

PEQUIM (Reuters) - O agitado mercado acionário chinês é o primeiro do mundo em aberturas de capital de empresas no terceiro trimestre, tanto em quantidade quanto em volume de recursos levantados, mostrou um relatório da Ernst & Young nesta terça-feira. O Brasil aparece em segundo lugar.

Outros mercados emergentes, incluindo a Índia, também passam por um incremento na quantidade de ofertas de ações, mas as aberturas nos mercados mais maduros caíram sob o peso da influência da crise de crédito e das turbulências geradas pelo mercado hipotecário de risco dos Estados Unidos.

Empresas da China continental e de Hong Kong levantaram 14,3 bilhões de dólares no terceiro trimestre, mais que o dobro no mesmo período do ano passado.

Enquanto isso, o Brasil ficou em segundo lugar com 9,3 bilhões de dólares levantados no terceiro trimestre. Os Estados Unidos ficaram na terceira posição, com 8,3 bilhões de dólares.

"Não há dúvida de que os mercados emergentes são o motor da economia global e os IPOs (ofertas iniciais de ações) são um reflexo disso", disse Gil Forer, diretor global da Ernst & Young.

Forer disse ainda que o panorama de IPO parece saudável, apesar do impacto da crise de crédito ainda ser difícil de mensurar.

Três das 10 maiores ofertas públicas iniciais ocorridas no mundo, incluindo a listagem do Bank of Beijing, aconteceram no último trimestre na China.

Nos últimos anos, o quarto trimestre vinha sendo o mais forte para a China em termos de aberturas de capital, uma tendência que a Ernst & Young espera que se mantenha.

"A confiança do investidor continua positiva, há muitas razões para acreditar que os fundos levantados pelas empresas na China e em Hong Kong irão facilmente ultrapassar 50 bilhões de dólares em 2007", afirmou o sócio da Ernst & Young, Joe Tsang, a jornalistas. Em 2006, a China levantou 57 bilhões de dólares em aberturas de capital.