CONSOLIDA-Cenário fica mais sombrio para economias industriais

quinta-feira, 31 de julho de 2008 11:57 BRT
 

Por Brian Love

PARIS, 31 de julho (Reuters) - Da Grã-Bretanha ao Japão, as economias mais ricas do mundo deram mais provas nesta quinta-feira de que suas fortunas estão acabando velozmente e, em alguns casos, de forma furiosa.

A confiança dos consumidores britânicos caiu neste mês para o menor nível desde os dias sombrios de 1974, de acordo com uma pesquisa, e a inflação nos 15 países da zona do euro atingiu o maior nível já registrado, segundo dados preliminares.

No Japão, a atividade manufatureira recuou pelo quinto mês seguido, de acordo com outra pesquisa que se junta à crença cada vez maior de que o maior período de expansão desde a Segunda Guerra Mundial está tendo um final abrupto lá.

"Tudo chafurdou em estagnação. Tudo está se equilibrando na beira da recessão", disse Holger Schmieding, economista em Londres para o Bank of America, sobre a tendência do mundo industrializado.

"Mas ainda há a esperança de que o petróleo possa recuar cedo e rápido o bastante para salvar esse países bem a tempo."

Nos Estados Unidos, o crescimento se recuperou um pouco menos do que o esperado no segundo trimestre, quando o pacote de estímulo econômico do governo começou a chegar aos consumidores na forma de restituição de impostos.

A abordagem pessimista do panorama mundial continuou dominante mesmo com a queda do desemprego na Alemanha, que para muitos economistas vai dar lugar a notícias menos positivas quando a desaceleração econômica afetar o mercado de trabalho.

O desemprego alemão caiu em 20.000 em julho, para 3,250 milhões, mantendo a taxa de desemprego no menor nível em quase 16 anos, de acordo com a Agência Federal de Trabalho. Uma queda abaixo de 3 milhões não está descartada nos próximos meses.   Continuação...