31 de Julho de 2008 / às 15:00 / 9 anos atrás

CONSOLIDA-Cenário fica mais sombrio para economias industriais

Por Brian Love

PARIS, 31 de julho (Reuters) - Da Grã-Bretanha ao Japão, as economias mais ricas do mundo deram mais provas nesta quinta-feira de que suas fortunas estão acabando velozmente e, em alguns casos, de forma furiosa.

A confiança dos consumidores britânicos caiu neste mês para o menor nível desde os dias sombrios de 1974, de acordo com uma pesquisa, e a inflação nos 15 países da zona do euro atingiu o maior nível já registrado, segundo dados preliminares.

No Japão, a atividade manufatureira recuou pelo quinto mês seguido, de acordo com outra pesquisa que se junta à crença cada vez maior de que o maior período de expansão desde a Segunda Guerra Mundial está tendo um final abrupto lá.

"Tudo chafurdou em estagnação. Tudo está se equilibrando na beira da recessão", disse Holger Schmieding, economista em Londres para o Bank of America, sobre a tendência do mundo industrializado.

"Mas ainda há a esperança de que o petróleo possa recuar cedo e rápido o bastante para salvar esse países bem a tempo."

Nos Estados Unidos, o crescimento se recuperou um pouco menos do que o esperado no segundo trimestre, quando o pacote de estímulo econômico do governo começou a chegar aos consumidores na forma de restituição de impostos.

A abordagem pessimista do panorama mundial continuou dominante mesmo com a queda do desemprego na Alemanha, que para muitos economistas vai dar lugar a notícias menos positivas quando a desaceleração econômica afetar o mercado de trabalho.

O desemprego alemão caiu em 20.000 em julho, para 3,250 milhões, mantendo a taxa de desemprego no menor nível em quase 16 anos, de acordo com a Agência Federal de Trabalho. Uma queda abaixo de 3 milhões não está descartada nos próximos meses.

DOR NA EUROPA

As notícias em outros lugares não permitiram nem comemorações temporárias.

Na Grã-Bretanha, onde a queda dos preços das moradias e o aumento das contas começaram a pegar pesado, o índice de confiança do consumidor GFK NOP recuou para o menor nível desde o início das consultas, em 1974.

Isso veio junto com mais notícias de queda dos preços das moradias.

Segundo a concessora de crédito Nationwide, os preços das moradias recuaram 1,7 por cento neste mês, com queda de 8,1 por cento em relação ao ano anterior --maior baixa anual desde o início da séries, em janeiro de 1991.

A alta dos preços de combustível e alimentos está alimentando a inflação em todos os lugares, e o departamento de estatísticas da União Européia divulgou uma inflação anual a 4,1 por cento, novo recorde.

O Japão contribui de forma notável para a crise econômica. Uma nova pesquisa sobre o setor manufatureiro mostrou que a atividade do setor recuou pelo quinto mês seguido em julho.

O índice Nomura/JMMA foi divulgado um dia após dados do governo revelarem a segunda queda seguida na produção industrial no trimestre de abril a junho.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below