PANORAMA2-Fed reduz juros e mercados reagem; Bovespa tem recorde

quarta-feira, 31 de outubro de 2007 18:27 BRST
 

Por Silvio Cascione

SãO PAULO, 31 de outubro (Reuters) - O Federal Reserve cortou o juro em 0,25 ponto percentual nesta quarta-feira, como esperado, e fortaleceu a confiança dos investidores em todo o mundo, com alta das ações em Wal Street e novo recorde na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa).

O banco central norte-americano reduziu também a taxa de redesconto --usada em empréstimos fornecidos por ele diretamente aos bancos-- em 0,25 ponto percentual. O comunicado divulgado após a reunião, porém, sugeriu para o mercado que a dose de alívio monetário já pode ter acabado.

Segundo o Fed, o corte desta quarta-feira deve levar a um equilíbrio entre os riscos de inflação e as ameaças ao crescimento. "A ação de hoje, combinada com a ação política tomada em setembro, deve ajudar a evitar alguns dos efeitos adversos sobre a ampla economia que poderiam surgir", afirmou.

Após a decisão, o mercado de juros futuros norte-americano diminuiu a aposta em uma nova redução da taxa básica de juros em dezembro. O efeito foi mais concentrado sobre as projeções para 2008, já que os operadores passaram a ver menos chances de corte no próximo ano.

Essa expectativa chegou a afetar as bolsas, mas Wall Street logo se recuperou e chegou a ver alta de mais de 1 por cento dos três principais índices. "A reação inicial do mercado... foi como se ouvisse 'Ei, não espere uma série de cortes'. Por isso tivemos uma breve queda das ações", disse Scott Wren, estrategista de ações da A.G. Edwards & Sons, em St. Louis.

No Brasil, como os mercados de câmbio e juros futuros já estavam fechados, a reação ficou restrita à Bovespa. O principal índice da bolsa paulista se aproximou dos 66 mil pontos e fechou com novo recorde após alta de 1,45 por cento.

Já o dólar, influenciado pela entrada de moeda no país, caiu pela quinta sessão consecutiva e fechou no menor nível desde março de 2000. No mercado de juros futuros, as projeções fecharam sem tendência definida, à espera do Fed.

No mercado internacional, o petróleo voltou a se destacar após a queda dos estoques nos Estados Unidos. O barril da commodity subiu mais de 4 dólares em Nova York e fechou acima de 94 dólares.   Continuação...