Rachid deixa Receita e encerra "era Palocci" na Fazenda

quinta-feira, 31 de julho de 2008 16:28 BRT
 

Por Isabel Versiani

BRASÍLIA, 31 de julho (Reuters) - O ministro da Fazenda, Guido Mantega, exonerou o auditor fiscal Jorge Rachid do cargo de secretário da Receita Federal e o substituiu, nesta quinta-feira, por Lina Maria Vieira, também funcionária de carreira do Fisco.

À frente da secretaria desde o início do primeiro mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em 2003, Rachid era o último secretário em exercício na Fazenda nomeado pelo ex-ministro Antonio Palocci.

Durante sua gestão, o recolhimento de tributos bateu recordes sucessivos em meio a um cenário de crescimento econômico. A arrecadação seguiu em alta mesmo após a derrubada da CPMF pelo Congresso em dezembro do ano passado, considerada uma das piores derrotas políticas do governo Lula.

No mandato de Rachid, o Fisco tornou-se uma instituição ainda mais poderosa ao incorporar, em 2007, as estruturas de arrecadação e fiscalização do Ministério da Previdência Social e ser transformado em Receita Federal do Brasil --ou Super Receita, como ficou conhecida.

A indicação de Lina, segundo fonte próxima ao assunto, sofreu a influência do secretário-executivo do ministério, Nelson Machado.

Lina era uma das 10 superintendentes regionais da Receita, responsável por quatro Estados do Nordeste. Politicamente articulada, também foi por duas vezes secretária da Fazenda do Rio Grande do Norte.

No início do mês, o então secretário de Política Econômica da Fazenda Bernard Appy --outra indicação de Palocci-- deixou o cargo para assumir uma assessoria especial responsável por tocar a reforma tributária. Ele foi substituído pelo economista Nelson Barbosa, ex-secretário de Acompanhamento Econômico e homem de confiança de Mantega.

O fim definitivo da era Palocci na Fazenda coincide com a divulgação de notícias, não confirmadas pelo governo, de que o ex-ministro estaria sendo cogitado para assumir outro ministério na Esplanada.

(Edição de Daniela Machado)