Lula defenderá etanol em conferência de alimentos da ONU

sábado, 31 de maio de 2008 13:39 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva defenderá o etanol e os biocombustíveis em reunião da agência de agricultura e alimentos da Organização das Nações Unidas (FAO) que acontece em Roma, na semana que vem.

Segundo informações da Agência Brasil, o presidente vai reiterar disposição brasileira de transferir tecnologia de produção do etanol para alguns países da América do Sul, da África e do Caribe.

"O presidente vai defender o etanol como uma saída importante para o mundo do ponto de vista de deter mudanças climáticas, diminuir o aquecimento global, dar cumprimento às metas do Protocolo de Kyoto", afirmou o ministro da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, Franklin Martins, segundo a agência.

Representantes de 151 países discutirão na conferência da FAO soluções para uma crise mundial capaz de privar 100 mil pessoas de alimentos básicos e gerar levantes e instabilidade política.

Uma combinação de fatores, incluindo safras ruins, estoques baixos e expansão da demanda, acumulou-se por cerca de um ou dois anos, provocando um aumento repentino e acentuado no preço de vários produtos alimentícios. Esses preços devem continuar altos nas próximas décadas, mesmo que saiam dos patamares recordes atuais, informou a FAO em relatório recente.

"O combate ao protecionismo e à inflação de alimentos advinda do petróleo são as grandes questões que têm de ser colocadas", afirmou o ministro brasileiro. Segundo ele, as principais críticas contra o etanol vêm da Europa e Estados Unidos. "Quem está contra o etanol? O lobby da indústria do petróleo e o lobby da indústria viciada em subsídio na Europa e nos Estados Unidos", afirmou Martins, segundo a agência.

Lula chegou neste sábado a Roma para participar da conferência que tem como tema a Segurança Alimentar, Mudanças Climáticas e Bioenergia e começa na terça-feira. Até segunda-feira, o presidente não tem compromissos oficiais.

 
<p>Lula discursa durante posse de Carlos Minc como ministro do Meio Ambiente, em 27 de maio de 2008  REUTERS. Photo by Stringer</p>