Embaixador do Brasil em Honduras segue hospitalizado

sábado, 31 de maio de 2008 12:39 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O embaixador do Brasil em Honduras, Brian Michael Fraser Neele, segue hospitalizado, sem risco de vida, depois do acidente de avião que matou sua esposa durante aterrissagem em Tegucigalpa, capital do país, na sexta-feira.

"O embaixador está estável, consciente, mas sedado contra dor e recebendo medicação para desinchaço das pernas", afirmou a vice-cônsul do Brasil, Francinete Melo, em entrevista por telefone.

Segundo ela, o embaixador sofreu fraturas em ambas as pernas depois que o avião da companhia aérea Taca em que estava saiu da pista do aeroporto de Tegucigalpa, durante a aterrissagem.

Na sexta-feira à noite, um dos dois filhos do casal chegou a Tegucigalpa vindo de São Salvador, em El Salvador, informou Melo. A expectativa agora é pela chegada do segundo filho, quando deverá ser decidido como será feito o funeral da embaixatriz brasileira, Jeanne Chantal Neele.

O representante brasileiro estava retornando da 3a Cúpula de Chefes de Estado e de Governo do Brasil e dos países do Sistema para a Integração Centro-Americana, SICA, realizada em São Salvador e que contou com participação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Neele, 67, assumiu a representação brasileira em Honduras em 4 de março, antes disso, ele era cônsul geral do Brasil em Roma, informou Melo.

O acidente também matou Harry Brautigam, da Nicarágua, que chefiava o Banco Nacional de Integração da América Central.

Segundo informações do chefe do serviço de emergência local, cinco pessoas morreram no acidente, incluindo o piloto. A aeronave, que partiu-se em três no acidente, transportava 135 pessoas e atingiu carros quando saiu em ziguezague em direção a uma rodovia próxima.

Tegucigalpa, que fica em meio a montanhas, é um dos aeroportos mais difíceis para o pouso na América Latina, devido à pista curta e de difícil aproximação.

REUTERS AAJ