Chefe do Pentágono diz que EUA manterá seu poder na Ásia

sábado, 31 de maio de 2008 13:13 BRT
 

Por Andrew Gray

CINGAPURA (Reuters) - Washington continuará comprometido com a Ásia não importa o que acontecer na eleição presidencial norte-americana neste ano, disse neste sábado o secretário de Defesa dos Estados Unidos, Robert Gates, a autoridades da região.

Sua mensagem, dita em uma conferência de autoridades de segurança e defesa da Ásia, aparentemente tinha como objetivo reafirmar alianças e serviu como um comunicado de intenções à China após o crescimento econômico e militar de Pequim nos últimos anos.

"Como alguém que serviu a sete presidentes dos Estados Unidos, quero comunicar a vocês com confiança de que a política de segurança e relação à Ásia em qualquer administração futura nos EUA será baseada no fato de que os Estados Unidos permanecem como uma nação com fortes e duradouros interesses nesta região", afirmou Gates.

"Posso assegurar a vocês que os Estados Unidos -- devido ao nosso interesse e por causa dos nossos valores -- não apenas continuarão engajados, como ficarão ainda mais engajados nas décadas seguintes", afirmou o ex-chefe da CIA.

Falando no fórum anual Diálogo Shangri-Lá, em Cingapura, Gates tentou balancear os seus comentários em relação à China. Autoridades dos EUA disseram que ele queria deixar as visões de Washington claras sem criar uma confrontação aberta com Pequim.

Gates ofereceu elogios, citando a "valiosa cooperação" da China nas conversas com a Coréia do Norte sobre armas nucleares, e evitou críticas diretas ao país.

No entanto, ele também fez alusão a assuntos quem têm sido polêmicos, como pedidos insistentes dos EUA por maior transparência nos orçamentos militares da China. O ministro da Defesa do Japão, Shigeru Ishiba, também pediu que a China fosse mais clara sobre seus gastos e intenções.

CHINA REBATE   Continuação...