Tensão aumenta às vésperas de novos referendos na Bolívia

sábado, 31 de maio de 2008 14:59 BRT
 

Por Juan Carlos Zambrana e Ana María Fabbri

TRINIDAD/COBIJA, Bolívia (Reuters) - Tentativas de bloqueio e queima de urnas eleitorais aumentaram no sábado as tensões nos departamentos amazônicos da Bolívia, que farão referendos de autonomia no domingo, em desafio ao presidente Evo Morales.

Os referendos não autorizados, que pretendem aprovar estatutos de autonomia em Beni e Pando, acontecem um mês depois de uma consulta parecida em Santa Cruz, departamento que lidera a economia boliviana. Em 22 de junho, outro referendo acontecerá em Tarija, que tem as maiores reservas de gás natural do país.

Apoiados pela oposição conservadora, os quatro departamentos paralisaram o processo de "refundação" do país, que entraria em vigor com a aprovação de uma Constituição "plurinacional" e colocaria a economia nas mãos do Estado.

Enquanto em Trinidad, capital de Beni, o governador Ernesto Suaréz ordenava que a polícia e os militares estivessem a serviço do referendo, organizações camponesas e indígenas anunciavam um boicote à consulta.

"Mas nada impedirá a vitória da autonomia contra a centralização", disse Suaréz a repórteres, prevendo que no domingo haveria "uma festa" antes e depois da votação. A tensão cresceu quando várias organizações simpatizantes do Movimento ao Socialismo disseram ter impedido a distribuição de material eleitoral em várias regiões rurais de Beni.

O sequestro de três urnas de votação e o bloqueio de uma estrada importante fizeram parte das manifestações contra o referendo.

SUSPEITA DE FRAUDE   Continuação...