Cosan prevê recorde de exportações de etanol em 2008/09

quinta-feira, 31 de julho de 2008 14:16 BRT
 

Por Inaê Riveras

SÃO PAULO (Reuters) - A Cosan, maior grupo brasileiro de açúcar e etanol, divulgou na quinta-feira que espera um recorde nas exportações de álcool em 2008/09 (maio-abril), sendo que metade do volume comercializado terá como destino o mercado dos Estados Unidos.

As exportações de etanol da Cosan devem responder por 25 por cento da produção projetada para a temporada, em comparação com menos de 20 por cento nos últimos anos, afirmou o vice-presidente comercial da Cosan, Marcos Lutz.

"Este (aumento nas exportações) é uma mudança estrutural. Estamos construindo relações com parceiros internacionais, nas quais garantimos fornecimento constante, relações além do mercado físico", disse Lutz durante uma teleconferência para jornalistas.

A Cosan S.A., subsidiária da Cosan Ltd, anunciou um prejuízo de 5,3 milhões de reais (3,39 milhões de dólares) no quarto trimestre, entre fevereiro e abril, devido à queda nos preços do açúcar e do aumento de custos. No ano passado, a empresa teve lucro de 164,7 milhões de reais no mesmo período.

As exportações de álcool do centro-sul brasileiro foram estimadas em 5 bilhões de litros nesta temporada, contra 3,1 bilhões de litros em 2007/08, principalmente devido à forte demanda norte-americana.

O Brasil, maior exportador mundial de açúcar e álcool, encontra-se na metade de uma colheita recorde de cana na qual as usinas dão preferência à produção de álcool, frente ao pequeno retorno financeiro oferecido pelo açúcar.

A Cosan manteve os planos anunciados anteriormente sobre investimentos de usinas de etanol fora do país, mas informou que provavelmente vai esperar pela definição da tarifa aplicada sobre o produto nos EUA antes de tomar qualquer decisão.

"Existe uma pressão crescente da população norte-americana contra a tarifa do etanol. Então precisamos ter cuidado para não tomarmos um passo que pode não ser tão interessante no futuro", afirmou o vice-presidente da Cosan, Paulo Diniz.   Continuação...