Farc diz que operação militar impede entrega de reféns

segunda-feira, 31 de dezembro de 2007 19:29 BRST
 

CARACAS, 31 de dezembro (Reuters) - A guerrilha colombiana Farc disse que não existem condições atualmente para a liberação dos três reféns que prometeu entregar, e que pedirá para reativar o mecanismo de entrega quando conseguir um lugar seguro, segundo carta enviada pelo grupo ao presidente venezuelano, Hugo Chávez.

O mandatário considerou que a operação vai continuar mesmo com riscos, e que poderia trocar a "modalidade" do resgate, incluindo operações clandestinas, mas afirmou que não deseja chegar a isso.

"As intensas operações militares na região nos impedem por hora de entregar a vocês Clara Rojas, Emmanuel, e González de Perdomo, como era nosso desejo", disse Chávez, ao ler uma carta do grupo rebelde em uma entrevista telefônica com o canal estatal VTV, na segunda-feira .

O presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, disse também nesta segunda-feira que não enviará a Comissão de Paz para resgatar os reféns por medo de sequestro pelas Forças Armadas Revolucionárias Colombianas.

Ele negou que combates entre as Farc e a Força Armada colombiana impeçam a entrega dos reféns e ofereceu suspender as operações militares na região para facilitar o resgate, criando um corredor seguro que permita a entrega dos reféns.

Uribe surpreendeu ao questionar que o menino Emmanuel, filho de Clara Rojas, esteja com as Farc. De acordo com Uribe, ele poderia estar com um instituto de proteção infantil.

(Por Fabián Andrés Cambero)rr