Suspeito líbio por ataque em Benghazi declara inocência nos EUA

sábado, 28 de junho de 2014 17:37 BRT
 

WASHINGTON (Reuters) - Um líder de milícia líbia declarou inocência em um tribunal federal dos Estados Unidos neste sábado em acusação de terrorismo pelo ataque ao complexo diplomático dos Estados Unidos em Benghazi, em 2012, que matou quatro norte-americanos.

Ahmed Abu Khatallah foi transferido para o Tribunal Distrital dos EUA em Washington neste sábado. Ele estava em um navio de guerra da Marinha desde sua captura em 15 de junho por forças de operações especiais dos EUA na Líbia.

Khatallah foi acusado na audiência por conspirar para fornecer apoio material a terroristas no ataque que matou o embaixador dos EUA Christopher Stevens e três outros norte-americanos em Benghazi.

O ataque, ocorrido em 11 de setembro de 2012, desencadeou manifestações políticas contra o presidente Barack Obama, com republicanos acusando seu governo de deturpar as circunstâncias e de fornecer uma proteção frouxa para diplomatas.

A acusação contra Khatallah pede pena de prisão perpétua, disse o Departamento de Justiça. O departamento disse que pretende apresentar acusações adicionais em breve.

Khatallah negou em uma entrevista à Reuters em outubro de 2012 que era um líder da Ansar al-Sharia, grupo islâmico que Washington acusa de ter realizado o ataque ao consulado.

(Por Patricia Zengerle e Doina Chiacu)