Costa Rica não teme Holanda, mas se preocupa com simulação de Robben, diz técnico

sexta-feira, 4 de julho de 2014 18:07 BRT
 

SALVADOR (Reuters) - A seleção da Costa Rica não teve medo quando caiu no "grupo da morte" na fase inicial da Copa do Mundo e não vai mudar sua mentalidade para o jogo contra a Holanda, disse na sexta-feira o treinador Jorge Luis Pinto, que reconheceu estar preocupado pelo comportamento de Arjen Robben em campo.

A Costa Rica enfrenta no sábado a Holanda no estádio Fonte Nova, em Salvador, buscando uma vaga nas semifinais do Mundial.

"Não temos medo da Holanda, os respeitamos, mas se não tivemos medo na fase de grupo não teremos agora", afirmou Pinto em entrevista à imprensa.

A Costa Rica fez parte do Grupo D com os ex-campeões mundiais Uruguai, Itália e Inglaterra.

"Temos uma oportunidade única. No campo de jogo vamos fazer tudo o que for possível, com a segurança defensiva para chegar ao triunfo. A Holanda tem um grande técnico e jogadores brilhantes, vamos respeitá-los, mas também vamos atacá-los", acrescentou.

O jogo no sábado colocará frente a frente a equipe que mais fez gols do torneio, a Holanda, contra a melhor defesa, a Costa Rica.

"Tenho a tranquilidade de ter uma boa defesa e um bom goleiro, por isso vai ser difícil a Holanda fazer um gol", disse o técnico.

O treinador mostrou, no entanto, preocupação com as simulações de falta de Robben, ocorridas na vitória da Holanda sobre o México nas oitavas de final.

"O que mais nos preocupa para o jogo de amanhã são as 'simulações' de Robben. É do que temos pavor e convido a Fifa a ficar atenta, temos que reconhecer que há horrores maiúsculos e isso nos preocupa, as 'simulações'", disse.

"Sou categórico ao dizer à Fifa, atenção a isso. Vamos exigir respeitosamente que fiquem atentos porque isso pode ser muito delicado para o jogo... Ele pode ser expulso por isso, vamos esperar e ter confiança na execução do árbitro", acrescentou.