Voo desaparecido da Air Algerie caiu com 116 a bordo, diz autoridade

quinta-feira, 24 de julho de 2014 12:23 BRT
 

Por Hamid Ould Ahmed

ARGEL (Reuters) - Um voo da Air Algerie caiu nesta quinta-feira quando seguia de Ugadugu, em Burkina Fasso, no oeste da África, para Argel, com 110 passageiros e 6 tripulantes a bordo, confirmou uma autoridade da aviação da Argélia.

A companhia aérea privada espanhola Swiftair, dona do avião, que era operado pela Air Algerie, confirmou ter perdido contato com a aeronave, um McDonnell Douglas MD-83.

Há poucas indicações do que pode ter ocorrido com a aeronave, ou se há vítimas, mas o ministro dos Transportes de Burkina Fasso, Jean Bertin Ouedrago, disse que o avião pediu para mudar de rota às 22h38 (horário de Brasília) por causa de uma tempestade na área.

"Posso confirmar que caiu", disse à Reuters um alto funcionário argelino que não quis identificar-se ou dar detalhes sobre o que havia ocorrido ao avião em seu trajeto para o norte. Quase metade dos passageiros tinha cidadania francesa, segundo um funcionário da companhia aérea argelina.

Um porta-voz do Exército da França informou que dois jatos franceses que têm base na região foram enviados para tentar localizar o avião ao longo de sua provável rota.

A agência de notícias estatal argelina APS disse que as autoridades locais perderam contato com o voo AH 5017 uma hora depois de ele decolar de Burkina Fasso, embora outras autoridades tenham dado informações diferentes sobre o momento do desaparecimento, o que aumentou a confusão sobre o destino do avião e onde ele poderia estar.

Um diplomata em Bamako, capital do Mali, afirmou que uma forte tempestade de areia se abateu durante a noite sobre o norte malinês, que fica na rota de voo do avião.

Qualquer que seja a causa, um outro desastre na aviação provavelmente vai elevar o nervosismo no setor, já que um avião da Malaysia Airlines foi derrubado sobre a Ucrânia na semana passada e um outro, da TransAsia Airways, caiu durante uma tempestade na quarta-feira em Taiwan. Além disso, várias companhias aéreas cancelaram voos para Tel Aviv por causa do conflito na Faixa de Gaza.   Continuação...

 
Cinegrafistas aguardam do lado de fora da sede da companhia aérea espanhola Swiftair, nos arredores de Madri. 24/07/2014. REUTERS/Andrea Comas