Campos minimiza pouco crescimento nas pesquisas eleitorais

segunda-feira, 11 de agosto de 2014 16:10 BRT
 

(Reuters) - O candidato à Presidência da República pelo PSB, Eduardo Campos, defendeu nesta segunda-feira a fusão do PIS/Cofins, como parte da Reforma Tributária que prometeu realizar nos primeiros meses de seu governo, caso seja eleito.

A reforma do sistema tributário tem sido uma bandeira do presidenciável, que pretende realizá-la de forma fatiada e aliada a um fundo de transição para evitar impactos às contas da União, de Estados e municípios.

“Com a fusão deles (PIS e Cofins), que se acumulam sobre a produção industrial no Brasil, a curto prazo eliminamos esse incômodo na vida de muitas empresas”, afirmou em entrevista a jornalistas fornecida por sua assessoria, após participar de sabatina do portal de notícias G1.

“Nós vamos fazer a reforma tributária. Ela entrará em vigor de forma fatiada, porque nós tomamos a decisão de não aumentar a carga tributária no Brasil”, disse Campos, que se posicionou ainda a favor da taxação de grandes fortunas no país.

Durante a sabatina, Campos minimizou o fato de ainda não ter conseguido atrair parte dos votos que a ex-senadora Marina Silva, vice em sua chapa, obteve nas últimas eleições.

Campos disse que "não existe essa coisa de transferência de voto", ao ser questionado se havia uma "frustração" com o seu patamar de preferência do eleitorado.

"Você não tem um voto dentro de uma caixa e leva como se fosse uma mudança, que você arruma a roupa dentro de uma mala e leva. Não é assim", disse.

Campos ocupa o terceiro lugar nas pesquisas eleitorais recentes, oscilando em torno dos 10 por cento das intenções de voto.

Este é o mesmo patamar ocupado por Marina na mesma época na última corrida presidencial, mas na reta final da campanha de 2010, no entanto, a ex-senadora deu uma arrancada e recebeu quase 20 milhões de votos.   Continuação...

 
Candidato do PSB à Presidência, Eduardo Campos, fala durante evento na Confederação Nacional da Indústria (CNI). 30/7/2014 REUTERS/Ueslei Marcelino