Governador de Pernambuco diz que Marina é "grande nome" para substituir Campos

quinta-feira, 14 de agosto de 2014 21:24 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O governador de Pernambuco, João Lyra Neto (PSB), disse nesta quinta-feira que a ex-senadora Marina Silva é "um grande nome" para substituir Eduardo Campos, morto em um acidente aéreo na quarta, como candidata do PSB à Presidência.

Lyra Neto, que está em São Paulo para acompanhar o processo de identificação das sete pessoas que morreram na queda do avião em Santos, afirmou ainda que o partido deve escolher um novo candidato e não abrir mão da disputa presidencial.

Em entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista, o governador pernambucano lembrou que o partido não tem muito tempo para tomar uma decisão.

"Nós temos dois prazos, o legal e o político. O legal são 10 dias e o político nós temos que ter consciência que o guia (horário) eleitoral começa no dia 19", disse.

Pela legislação eleitoral, a coligação de seis partidos liderada pelo PSB tem até o dia 23 para decidir se indica outro candidato à Presidência ou se desiste da disputa, hipótese que parece cada vez menos provável.

Mesmo que o partido não tome uma decisão até terça-feira, quando começa o horário eleitoral no rádio e na TV, a coligação Unidos pelo Brasil ainda terá à sua disposição os pouco mais de dois minutos de tempo de TV a que tem direito.

Também nesta quinta, em nota assinada por Roberto Amaral, que assumiu a presidência do PSB com a morte de Campos, o partido informou que "tomará, quando julgar oportuno, e ao seu exclusivo critério, as decisões pertinentes à condução do processo político-eleitoral".

Antes da divulgação da nota pelo partido, o irmão de Eduardo Campos, o advogado Antônio Campos, publicou carta aberta em seu blog defendendo que Marina assuma a cabeça da chapa.

"Como filiado ao PSB, membro do Diretório Nacional com direito a voto, neto mais velho vivo de Miguel Arraes, presidente do Instituto Miguel Arraes e único irmão de Eduardo, que sempre o acompanhou em sua trajetória, externo a minha posição pessoal que Marina Silva deve encabeçar a chapa presidencial da coligação Unidos Pelo Brasil", escreveu.   Continuação...