Dólar cai com otimismo eleitoral e fecha em R$ 2,25

terça-feira, 19 de agosto de 2014 17:46 BRT
 

Por Bruno Federowski

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar fechou em queda ante o real pela quarta sessão seguida nesta terça-feira, com investidores otimistas sobre o quadro eleitoral brasileiro.

Em um dia de poucas notícias relevantes, a moeda norte-americana caiu 0,37 por cento, a 2,2502 reais na venda, acumulando baixa de 1,25 por cento nas últimas quatro sessões. O volume financeiro na clearing de câmbio da BM&F ficou em torno de 1,5 bilhão de dólares.

Os investidores têm se mostrado mais otimistas com a esperada entrada de Marina Silva na corrida presidencial, o que torna bastante difícil que a presidente Dilma Rousseff vença as eleições no primeiro turno.

Grande parte do mercado desaprova as políticas econômicas do atual governo e aposta em uma vitória da oposição no segundo turno das eleições.

Esse otimismo levou o dólar a ser negociado abaixo de 2,25 reais pela primeira vez desde o final de julho. Analistas alertam, no entanto, que a corrida eleitoral ainda pode provocar volatilidade no câmbio.

"O movimento de hoje não foi motivado por nenhuma grande notícia. Foi uma agulhada abaixo de 2,25 reais, algo pontual", afirmou o gerente de operações do Banco Confidence, Felipe Pellegrini. Para ele, a aversão ao risco no exterior e incertezas eleitorais domésticas devem manter o dólar acima desse patamar no curto prazo.

A moeda norte-americana vinha oscilando entre 2,20 e 2,25 reais entre o início de abril e o fim de julho, com breves exceções, mas subiu acima desse patamar depois que a escalada da crise na Ucrânia elevou as tensões geopolíticas globais.

Pela manhã, o BC deu continuidade ao seu programa de intervenções diárias, vendendo a oferta total de até 4 mil swaps cambiais, que equivalem a venda futura de dólares. Foram 1,4 mil contratos para 1º de junho e 2,6 mil contratos para 1º de setembro de 2015, com volume correspondente a 197 milhões de dólares.   Continuação...