PSB diz que prestaria contas sobre avião que levava Campos no fim da campanha

terça-feira, 26 de agosto de 2014 16:58 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O PSB informou nesta terça-feira que prestaria contas no fim da campanha eleitoral sobre o uso do avião que caiu matando o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, em meio a dúvidas sobre a propriedade e financiamento da aeronave.

O partido --que agora tem Marina Silva como candidata à Presidência da República após a morte do presidenciável Campos em acidente aéreo no último dia 13-- disse em nota à imprensa que o uso da aeronave Cessna de prefixo PR-AFA era autorizado pelos empresários João Carlos Lyra Pessoa de Mello Filho e Apolo Santana Vieira.

"Nos termos facultados pela legislação eleitoral, e considerando o pressuposto óbvio de que seu uso teria continuidade até o final da campanha, pretendia-se proceder à contabilização ao término da campanha eleitoral, quando, conhecida a soma das horas voadas, seria emitido o recibo eleitoral, total e final", disse o PSB em texto assinado pelo presidente da legenda, Roberto Amaral.

Não ficou claro na nota do PSB se os empresários citados nominalmente eram proprietários ou locatários do jato.

Na segunda-feira, Marina disse que as dúvidas envolvendo a propriedade do avião que caiu matando Campos tinham que ser esclarecidas e prometeu explicações do partido sobre o assunto até terça-feira.

(Redação São Paulo; +55 11 5644-7745)