ANÁLISE-Aécio e Dilma terão de desconstruir Marina e mirar Classe C para recuperar terreno

quinta-feira, 28 de agosto de 2014 19:23 BRT
 

Por Eduardo Simões

SÃO PAULO (Reuters) - As campanhas da presidente Dilma Rousseff (PT) e de Aécio Neves (PSDB) precisarão adotar uma estratégia de desconstrução da imagem de Marina Silva, candidata do PSB à Presidência, e um discurso mais atraente para a classe C para recuperar o terreno perdido na disputa presidencial.

Marina tornou-se a estrela da disputa eleitoral após sua entrada na corrida presidencial com a morte há duas semanas do então candidato do PSB, Eduardo Campos. Duas pesquisas divulgadas nesta semana mostraram a candidata em segundo lugar no primeiro turno, bem à frente de Aécio, e vencendo Dilma numa segunda rodada.

A candidatura de Marina foi catapultada pelo desejo de mudança apontado pelas pesquisas, pela comoção causada pela trágica morte de Campos e pelo discurso da "nova política".

É justamente esse discurso que, na avaliação de analistas ouvidos pela Reuters, Dilma e Aécio precisam desmontar para reverter o quadro atual.

"Eles precisam incutir no eleitor o receio de um governo Marina", disse o analista político Ricardo Ribeiro, da MCM Consultores. "Essa é a chave para tentar derrubar a Marina."

A tarefa é considerada "bastante complicada" pelo analista da Tendências Consultoria Rafael Cortez. Para ele, o desafio maior cabe a Aécio, que corre o risco de ser o primeiro tucano a ficar abaixo da segunda posição numa eleição presidencial desde 1989.

"A tentativa de desconstrução da Marina, dado que ela tem uma baixa rejeição, pode se mostrar ineficiente", ressalvou. "Um caminho, embora seja difícil, é explorar essa certa ambiguidade do posicionamento político da Marina, que não é claro o lado que ela adota em relação a uma série de temas."

Sem citar diretamente Marina, Aécio tem afirmado que "o Brasil não é para amadores" e buscado exaltar a equipe que o acompanha na disputa presidencial e que estará com ele em um eventual governo, batendo na tecla de que ele é o candidato que poderá realizar com segurança as mudanças desejadas pela população.   Continuação...