Brasil entra em recessão com investimentos e indústria em queda

sexta-feira, 29 de agosto de 2014 12:00 BRT
 

Por Rodrigo Viga Gaier e Patrícia Duarte

RIO DE JANEIRO/SÃO PAULO (Reuters) - O Brasil entrou em recessão no primeiro semestre com forte retração nos investimentos e na indústria e a Copa do Mundo prejudicando a atividade econômica, em mais um desafio aos esforços de reeleição da presidente Dilma Rousseff.

A economia brasileira encolheu 0,6 por cento no segundo trimestre de 2014 sobre os três meses anteriores e recuou 0,9 por cento na comparação anual, divulgou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira.

Os resultados no trimestre encerrado em junho vieram piores do que o esperado por economistas em pesquisa Reuters, cujas medianas apontavam para retração de 0,4 por cento do PIB sobre o primeiro trimestre e de 0,6 por cento na comparação anual.

O desempenho do primeiro trimestre deste ano sobre o quarto trimestre de 2013 foi revisado para mostrar contração de 0,2 por cento, contra avanço de 0,2 por cento divulgado anteriormente, levando o país a entrar em recessão.

O Brasil não vivia essa situação, quando há dois trimestres seguidos de contração, desde a crise financeira global de 2008/2009 e alguns economistas já esperam que o PIB ficará estagnado neste ano.

A Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF), uma medida de investimentos, recuou 5,3 por cento no trimestre passado sobre o período imediatamente anterior. Foi o pior resultado desde 2009 e marcou o quarto trimestre seguido de retração. Na comparação com o mesmo período de 2013, a FBCF de abril a junho teve queda 11,20 por cento.

A taxa de investimento no país como proporção do PIB ficou em 16,5 por cento no segundo trimestre, o pior resultado para esse período desde 2006, quando tinha ficado em 16,4 por cento.

"Todos os componentes caíram, máquinas e equipamentos e construção civil... Isso é uma conjunção de vários fatores, como a alta da (taxa básica de juro) Selic, a desaceleração do crédito... e férias coletivas e parada na indústria automotiva", afirmou a economista IBGE, Rebeca Palis.   Continuação...

 
Funcionários em linha de produção de fábrica em Manaus da chinesa Gree. 24/06/2014 REUTERS/Jianan Yu