Ibovespa tem melhor agosto desde 2003, com alta de 9,78%, com eleições em foco

sexta-feira, 29 de agosto de 2014 17:50 BRT
 

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice da Bovespa renovou máxima de pontuação em 19 meses no fechamento desta sexta-feira, acumulando em agosto a maior alta mensal desde janeiro de 2012 e o melhor desempenho para o mês desde 2003.

Os ganhos ao longo do mês foram amparados na forte participação de estrangeiros na Bovespa e na consolidação de um cenário mais difícil para a reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT).

O Ibovespa encerrou o último pregão de agosto em alta de 1,65 por cento, aos 61.288 pontos, maior pontuação desde 23 de janeiro de 2013. O volume financeiro somou 10,9 bilhões de reais.

Na semana, o índice acumulou ganho de 4,93 por cento, maior alta semanal desde a última semana de março; enquanto em agosto índice valorizou-se 9,78 por cento.

O mês foi marcado pelo trágico acidente aéreo que matou no dia 13 o então candidato do PSB à Presidência Eduardo Campos, resultando em uma reviravolta no cenário eleitoral. A vice Marina Silva assumiu a candidatura e passou a liderar as pesquisas nas simulações de segundo turno.

Até o dia 13, o Ibovespa acumulava no mês queda de 0,44 por cento. Do dia 13 até o final do mês, o índice contabilizou uma valorização de 10,27 por cento. E os papéis das empresas estatais se destacaram na alta do índice.

As ações preferenciais da Petrobras encerraram o mês com avanço acumulado de 22,25 por cento, enquanto as ordinárias subiram 23,07 por cento. O Banco do Brasil subiu 26,55 por cento, enquanto a Eletrobras PN avançou 13,41 por cento e ON ganhou 30,4 por cento. O peso total dos papéis dessas estatais no índice é de 15 por cento.

"Nos últimos 30 dias, o que era uma chance de 50/50 por cento para o resultado da eleição se tornou provavelmente algo como 90 por cento de chance de Dilma perder. O mercado está feliz de que um acionista que não se importa com os lucros será substituído", disse o sócio da Leblon Equities Marcelo Mesquita.   Continuação...